Feira de Xangai quer atrair 70 milhões de visitantes

Centenas de milhares de visitantes esperaram por horas debaixo de sol forte neste sábado pela abertura da World Expo Xangai 2010. Ao longo dos próximos seis meses, a feira deverá levar 70 milhões de pessoas aos pavilhões desenhados em torno do tema "Cidade melhor, vida melhor". A China injetou 28,6 bilhões de yuan (US$ 4,2 bilhões) no evento, e outros bilhões em melhorias, como transporte público.

AE, Agência Estado

01 Maio 2010 | 14h52

Cerca de 350 mil bilhetes foram colocados à venda para o primeiro dia, mas autoridades disseram que 200 mil pessoas compareceram. Da mesma maneira que os Jogos Olímpicos de Pequim, a feira em Xangai é uma oportunidade para o país exibir seu crescimento econômico e importância geopolítica.

O ambiente, com 5,3 quilômetros quadrados, apresenta diversos pavilhões, alguns exibindo tecnologias ambientais, como o do Japão, de teto com células de energia solar, e o do Brasil, com acabamento em tábuas de madeira reciclável. O pavilhão da Islândia é um dos mais modestos, já que seu espaço foi reduzido à metade e seu orçamento sofreu um corte por causa da crise financeira que atingiu o país no ano passado.

O pavilhão dos EUA, que não recebeu recurso do governo, também teve dificuldades para levantar financiamento, mas acabou conseguindo ao final, com o pedido da secretária de Estado, Hillary Clinton. "Antes de tudo, as relações entre EUA e China são muito importantes, mas algumas vezes as pessoas se esquecem disso. A China está reunindo 200 países e portanto você pode ver que o mundo estará aqui nos próximos seis meses", disse o diretor de comunicações dos EUA no pavilhão, Martin Alintuck. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
China sustentabilidade geopolítica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.