Forças paquistanesas libertam um refém chinês; outro morre

Dois engenheiros chineses que haviam sido seqüestrados por militantes islâmicos no sul de Waziristan, região tribal próxima à fronteira com o Afeganistão, foram libertados hoje por forças de segurança paquistanesas, informaram autoridades do país. No entanto, um dos reféns, ferido durante a operação, acabou morrendo. Os cinco seqüestradores, que eram liderados por um ex-prisioneiro da base americana de Guantánamo, Cuba, foram mortos. "Nós lançamos a operação após ouvir um disparo dentro da casa onde os chineses eram mantidos reféns", disse o oficial. "Nós fizemos o possível para resolver a situação pacificamente, mas a operação de resgate foi deflagrada como último recurso." Duas rodadas de negociações entre líderes tribais e o chefe do grupo de seqüestradores, o militante islâmico Abdullah Mehsud - que se esconde nas montanhas -, fracassaram. Influentes líderes tribais disseram que os seqüestradores iriam resistir a uma operação de resgate dos dois chineses, que foram capturados no sábado com seu motorista paquistanês e um segurança. Os seqüestradores exigiam a troca dos chineses por militantes estrangeiros detidos pelo Exército durante uma operação militar contra integrantes da Al-Qaeda na região.

Agencia Estado,

14 Outubro 2004 | 08h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.