1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Governo colombiano e Farc assumirão responsabilidade por vítimas de conflitos

O Estado de S. Paulo

07 Junho 2014 | 16h 44

Ponto era um dos mais delicados de uma agenda de seis tópicos em discussão há um ano e meio em Havana

HAVANA - O governo da Colômbia e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) concordaram neste sábado, 7, em assumir a responsabilidade pelas vítimas do conflito interno, dando um impulso para as negociações de paz, alguns dias antes do segundo turno das eleições presidenciais.

Em um comunicado conjunto emitido hoje, em Havana, ambas as partes concordaram em dez eixos que nortearão a discussão das vítimas de meio século de violência. Esse era o quarto dos seis pontos da agenda discutida nas conversas mantidas ao longo de um ano e meio em Cuba.

“Qualquer discussão sobre este ponto deve partir do reconhecimento de responsabilidade para com as vítimas do conflito”, disse o texto. “Nós não vamos trocar a impunidade.”

A admissão de responsabilidade pelas Farc poderia ajudar o presidente Juan Manuel Santos, que apostou sua reeleição pelo processo de paz, mas está empatado com seu rival de direita Oscar Iván Zuluaga. A votação será no dia 15. 

O futuro do diálogo com as Farc depende do resultado do segundo turno. Zuluaga tem dito que se ganhar imporá condições para continuar as negociações.

Santos considerou o acordo “histórico e decisivo” para o futuro das negociações de paz. Um feito que, segundo ele, permitirá uma comissão de vítimas “exigir seus direitos e justiça”, declarou, durante um ato de campanha em Montería, no Departamento de Córdoba. 

Na lista dos dez pontos-chave da discussão entre o governo colombiano e as Farc sobre esse tema estão o reconhecimento de responsabilidade, a reparação das vítimas e seus direitos, o esclarecimento da verdade, a garantia de não repetição, o princípio de reconciliação, entre outros. 

Princípios que, segundo o chefe dos negociadores do governo, o ex-vice-presidente Humberto de La Calle, “não têm antecedentes nem na Colômbia, nem em nenhum lugar em um processo de paz”. “O que estamos anunciando hoje (ontem) é um passo histórico”, disse a jornalistas, em Havana. 

O número dois da guerrilha e líder de sua equipe negociadora, Iván Márquez (Luciano Marín Arango), também comentou o acordo. “As vítimas não são só as do confronto armado e dos erros da guerra. As políticas econômicas e sociais são os piores motivos porque têm causado a maioria das mortes na Colômbia”, afirmou. 

Alguns representantes das vítimas do conflito colombiano devem ir à Cuba, ainda sem data definida, com propostas para a conclusão do processo de paz. 

O conflito de meio século entre as forças do governo, guerrilheiros e paramilitares deixou mais de 200 mil mortos e milhões de desalojados na Colômbia. As delegações não especificaram a data em que o diálogo será retomado em Havana./ EFE e REUTERS

  • Tags:

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo