Grã-Bretanha não vai abrir inquérito para apurar abusos por tropas no Iraque

Advogados queriam inquérito para apurar as 33 alegações.

BBC Brasil, BBC

14 Novembro 2009 | 15h33

A Grã-Bretanha não vai abrir um inquérito público para apurar novas acusações de abusos que teriam sido cometidos por soldados britânicos no Iraque.

O secretário das Forças Armadas da Grã-Bretanha, Bill Rammell, disse à BBC neste sábado que as 33 alegações, referentes a supostos abusos ocorridos entre 2003 e 2009 em Basra, vão ser investigadas internamente.

Rammell disse que cada caso seria examinado individualmente e ações disciplinares adotadas, se forem comprovados abusos, mas ponderou que nenhuma investigação deve ser realizada "com julgamentos prematuros".

Ele afirmou que "não há evidência de que o abuso endêmico fosse parte da forma como os militares operaram" e que a "vasta maioria" dos 120 mil soldados britânicos que serviram no Iraque se comportaram "da melhor forma".

"Apesar de ter havido circunstâncias em que os indivíduos se comportaram mal, apenas um pequeno número demonstrou não ter correspondido com os nossos padrões", disse o secretário.

Rammell dise à BBC que cerca de sete casos foram denunciados no último mês.

"Os demais se referem a anos anteriores e já estão sendo investigados", afirmou ele.

Estupro

Advogados das supostas vítimas iraquianas afirmaram que estas esperaram os britânicos finalizarem sua missão militar no país este ano para denuncia-los, temendo represálias.

Os representantes dos ex-detentos iraquianos estão pedindo a abertura de um inquérito público.

Em um dos casos, dois soldados britânicos teriam violentado sexualmente um adolescente iraquiano de 16 anos em 2003.

Atualmente, um inquérito está em andamento para apurar a morte de do civil iraquiano Baha Mousa, que morreu em custódia britânica com 93 ferimentos.

Segundo uma reportagem divulgada pelo jornal britânico The Independent, uma das vítimas alega ter sido estuprada por dois soldados britânicos enquanto outras afirmaram terem sido obrigadas a ficar sem roupa para serem fotografadas.

Outro detento teria contado que, ao ser preso, foi espancado por soldados britânicos. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
Iraque abusos estupro acusações Bill Rammell

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.