Grã-Bretanha submete à ONU plano para o Iraque

A Grã-Bretanha submeteu hoje ao Conselho de Segurança da ONU seu plano para suspender as sanções contra a importação de mercadorias pelo Iraque. No entanto, os dois países que apoiam Bagdá no Conselho de Segurança da ONU, China e Rússia, já indicaram não ter pressa em aprovar a proposta, que tem o apoio dos EUA. O projeto de resolução visa a suspender as restrições ao Iraque para a importação de todos os bens - com exceção de uma lista restrita de itens - bem como aos vôos para transporte de carga e de passageiros que têm o Iraque como ponto de partida ou de destino, e permitiria ao país usar parte do dinheiro da venda de petróleo para saldar parte de suas dívidas com a ONU. Ao mesmo tempo, a resolução prevê controle do organismo internacional sobre o dinheiro iraquiano proveniente das exportações de petróleo e tenta endurecer o embargo de uma década às vendas de armas ao governo de Saddam Hussein e pôr fim ao contrabando de petróleo iraquiano. Os britânicos e norte-americanos estão tentando aliviar as sanções incorporadas no programa da ONU de petróleo por comida, estabelecido em 1996 para ajudar os civis iraquianos a enfrentarem as sanções impostas ao país após a invasão do Kuwait pelo Iraque em 1990. O programa petróleo por comida permite ao Iraque vender sua produção petrolífera sob estrita vigilância das Nações Unidas e, com o dinheiro dessa venda, comprar alimentos e outros bens humanitários, além de reparar a infra-estrutura petrolífera do país e pagar reparações de guerra ao Kuwait e à ONU por custos administrativos e operacionais.

Agencia Estado,

22 Maio 2001 | 19h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.