1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Grécia se nega a receber ministra do Interior austríaca por crise migratória

- Atualizado: 26 Fevereiro 2016 | 12h 56

Na quarta-feira, Atenas foi excluída de reunião entre países dos Bálcãs na capital austríaca e Johanna Mikl-Leitner questionou se gregos deveriam continuar na zona de livre circulação da Europa

ATENAS - A Grécia se negou a receber a ministra austríaca do Interior, Johanna Mikl-Leitner, indicou uma fonte do ministério grego das Relações Exteriores nesta sexta-feira, 26, alimentando a tensão entre os dois países a respeito da crise migratória. Na quinta-feira, Atenas havia chamado para consultas sua embaixadora em Viena para protestar por sua exclusão de uma reunião realizada na quarta-feira na capital austríaca entre países dos Bálcãs.

A Áustria acusa com frequência a Grécia, principal porta de entrada na União Europeia (UE) para os migrantes sírios, iraquianos, afegãos ou eritreus, de não fazer todo o necessário para proteger suas fronteiras. Estes migrantes posteriormente prosseguem em direção ao centro e norte da Europa.

Ministra austríaca do Interior, Johanna Mikl-Leitner, questionou se Grécia deve ou não fazer parte da zona de livre circulação na Europa e abriu nova crise entre os países

Ministra austríaca do Interior, Johanna Mikl-Leitner, questionou se Grécia deve ou não fazer parte da zona de livre circulação na Europa e abriu nova crise entre os países

Na reunião de ministros da UE realizada na quinta-feira em Bruxelas sobre o tema migratório, a ministra austríaca se perguntou se a Grécia deve seguir formando parte da zona Schengen de livre circulação. 

"Se for verdade que a fronteira externa da Grécia não pode ser protegida, pode continuar sendo considerada uma fronteira externa de Schengen?", se perguntou a ministra.

O ministro grego de Política Migratória, Yannis Mouzalas, respondeu irritado que Johanna estava "escondendo a verdade" e "arrastando a Áustria a atos cada vez mais hostis em relação à Grécia e à UE".

"Nosso país guarda suas fronteiras, que também são as fronteiras da Europa, da melhor forma possível. Isso é um fato confirmado pela (agência europeia) Frontex, pela Comissão Europeia e por outras instituições", disse Mouzalas em um comunicado.

Há uma semana, a Áustria impôs uma quota diária ao número de demandas de asilo e de migrantes em trânsito por seu território. Depois disso, a Macedônia decidiu fechar a passagem aos afegãos em sua fronteira com a Grécia e aumentar os controles a sírios e iraquianos. Consequentemente, milhares de refugiados estão sendo bloqueados na Grécia. / AFP

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX