Halkin Sesi TV/REUTERS
Halkin Sesi TV/REUTERS

Grupo de esquerda invade tribunal de Istambul e ameaça matar promotor

Imagem divulgada por militantes mostra promotor sob a mira de arma; captores exigem confissão da polícia sobre morte de adolescente em 2013

Estadão Conteúdo

31 Março 2015 | 09h49

(Atualizada às 15h) ISTAMBUL - Forças especiais turcas entraram no tribunal de Istambul nesta terça-feira, 31, depois de integrantes de um grupo de esquerda proscrito terem invadido o prédio e ameaçado matar o promotor de um importante caso político.

Membros do Partido da Frente Libertação Popular Revolucionária (DHKP-C, na sigla em turco) publicaram uma fotografia do promotor Mehmet Selim Kiraz com uma arma apontada para sua cabeça. Um de seus captores - que usa uma boina e um lenço vermelho sobre a boca - é visto posando em frente a faixas com dizeres comunistas.

Imagens de televisão mostraram oficiais das forças de segurança entrando do complexo do tribunal central de Istambul, enquanto autoridades retiravam civis e funcionários do local.

O DHKP-C exige uma confissão ao vivo da polícia a respeito do assassinato de Berkin Elvan, adolescente de 15 anos que foi morto durante um protesto nacional em 2013 por uma cápsula de gás lacrimogêneo lançara pela polícia. Elvan morreu após quase nove meses em coma e se tornou um símbolo da resistência contra o governo e das acusações da brutalidade policial, negadas pelas autoridades. Sua morte, em março de 2014, deu início a protestos de rua em toda a Turquia.

"Os militantes vão punir o promotor com a morte, a menos que ele atenda as exigências em três horas", diz mensagem postada num site chamado Halkin Sesi, ou a Voz do Povo, que publica declarações de grupos de esquerda. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.