1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Hollande presta homenagem às vítimas da ditadura argentina

- Atualizado: 25 Fevereiro 2016 | 12h 05

Presidente francês esteve no Parque da Memória, em Buenos Aires, e lançou flores brancas no Rio da Prata ao lado de Estela de Carlotto, presidente das Avós da Praça de Maio

BUENOS AIRES - O presidente da França, François Hollande, homenageou nesta quinta-feira as vítimas da ditadura na Argentina no último dia de sua visita a Buenos Aires, onde também visitará o estádio La Bombonera, do Boca Junior, acompanhado pelo presidente Mauricio Macri 

Hollande percorreu o Parque da Memória, onde estão inscritos os nomes das milhares de vítimas da última ditadura do país (1976-1983), às margens do Rio da Prata. Ele também expressou a "solidariedade da França para as vítimas da ditadura, da opressão e da barbárie".

Hollande (D) e Estela de Carlotto, dirigente das Avós da Praça de Maio, lançam flores no Rio da Prata em homenagem às vítimas da ditadura

Hollande (D) e Estela de Carlotto, dirigente das Avós da Praça de Maio, lançam flores no Rio da Prata em homenagem às vítimas da ditadura

"A barbárie nunca acaba. Em todas as partes do mundo mulheres, crianças e homens são assassinados por suas ideias e pelas lutas que travam em nome da humanidade", disse Hollande. O líder europeu explicou que sua presença não se deve apenas ao fato de 22 das vítimas da ditadura serem francesas. "Temos consciência que na Argentina forma cometidos crimes em massa."

O presidente francês depositou flores brancas em homenagem aos desaparecidos e a prisioneiros políticos lançados vivos ao mar durante o regime militar, incluindo duas monjas francesas. Estavam presentes na cerimônia vítimas do regime que se exilaram na França. "Os acompanhamos e acolhemos da melhor forma possível. A França cumpriu seu dever", afirmou o presidente para esses refugiados.

Hollande também se encontrou com Estela de Carlotto, presidente das Avós da Praça de Maio, ONG que recuperou a identidade de 119 netos sequestrados durante a ditadura - pelo menos outros 400 ainda são procurados.

"A presença de Hollande neste lugar é tão emblemático que nos emociona porque aqui cada memória dói, mas é necessária. A França sempre esteve presente, nos dando a mão", afirmou Guido Montoya Carlotto, neto de Estela, que foi recuperado pela ONG. Ele também entregou para o presidente francês um relatório detalhando todos os passos da busca que resultou na sua localização. 

Hollande observa o monumento no Parque da Memória onde estão inscritos os nomes das milhares de vítimas da ditadura argentina

Hollande observa o monumento no Parque da Memória onde estão inscritos os nomes das milhares de vítimas da ditadura argentina

Parte do apertado dia de Hollande na capital argentina também inclui uma visita ao Polo Científico Tecnológio, que deve ocorrer depoi que ele deixar La Bombonera, estádio do clube que Macri dirigiu por 12 ano. O ex-jogador francês David Trezeguet, que venceu a Copa do Mundo de 1998, acompanhou Hollande na visita ao Bombonera.

A última visita de um presidente francês a Argentina havia ocorrido em 1997, com Jacques Chirac. Hollande deve seguir, ainda nesta quinta, para o Uruguai. / AFP e EFE

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX