Foto-Team-Mueller / Reuters
Foto-Team-Mueller / Reuters

Hospital entrega prontuário de copiloto da Germanwings para procuradoria alemã

Clínica em Dusseldorf na qual Andreas Lubitz se tratou disponibilizou informações para procuradores, mas recusou-se a divulgar detalhes sobre histórico do paciente

O Estado de S. Paulo

30 Março 2015 | 09h25

BERLIM - A Clínica Universitária de Dusseldorf, na qual o copiloto da Germanwings Andreas Lubitz se consultou nos últimos dois meses, entregou nesta segunda-feira o histórico médico do paciente para a procuradoria da cidade, encarregada de investigar o que teria levado Lubitz a derrubar o voo 4U9525, deixando 150 mortos na terça-feira.

Uma porta-voz da clínica confirmou que os registros médicos já estão com os investigadores, mas não deu mais detalhes, alegando que não poderia quebrar a confidencialidade médica.

Na sexta-feira, depois de uma série de informações sobre a saúde mental do copiloto terem sido vazadas por fontes com acesso a investigação, o centro hospitalar divulgou uma nota afirmando que Lubitz havia sido atendido em fevereiro e, pela última vez, no dia 10 de março.

Os detalhes do atendimento, bem como do possível tratamento ao qual o copiloto alemão foi submetido, não foram revelados. A clínica apenas negou que Lubitz tinha sido medicado em razão de uma depressão.

A procuradoria de Dusseldorf analisa também a documentação encontrada nas casas do copiloto da Germanwings depois de informar, também na sexta-feira, que havia encontrado relatórios médicos que apontavam "uma doença e também seu tratamento", incluindo licenças médicas atuais, válidas até para o dia da queda do voo "parcialmente destruídas". / EFE

Mais conteúdo sobre:
Alemanha Germanwings Andreas Lubitz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.