1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Hungria diz que rota dos Bálcãs usada por refugiados está fechada

- Atualizado: 08 Março 2016 | 10h 26

Em reunião entre Turquia e União Europeia, primeiro-ministro turco destacou a necessidade de acelerar a liberalização de vistos e investir mais dinheiro para solucionar a crise

BUDAPESTE - O primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, afirmou que a rota dos Bálcãs, usada pelos refugiados que viajam rumo à Europa, foi fechada após a cúpula realizada na segunda-feira em Bruxelas entre a Turquia e a União Europeia (UE), e insistiu em rejeitar a realocação de solicitantes de asilo em países comunitários.

"Terminou uma etapa, a partir de agora fechamos a rota que cruza pelos Bálcãs ocidentais", explicou Orbán à imprensa após sair do encontro com os líderes comunitários, segundo o site Atv.

Hungria reforça fronteira para conter refugiados
REUTERS/David W Cerny
Hungria reforça fronteira

Imigrantes caminham sob trilhos de trem enquanto seguem em direção à fronteira com a Áustria

Com relação ao princípio de acordo alcançado com a Turquia, o primeiro-ministro húngaro explicou que Budapeste se opõe "claramente" à proposta de que, para cada sírio que a Turquia readmitir desde as ilhas gregas, outro sírio seja realocado legalmente desde a Turquia aos Estados-membros da UE.

Esta foi uma das propostas que o primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu, levantou na cúpula, assim como a de acelerar a liberalização de vistos, o desembolso de mais dinheiro e a abertura de cinco capítulos nas negociações de adesão à UE.

Orbán qualificou as proposta da Turquia de "difíceis" e lembrou que a Hungria e a Eslováquia denunciaram o sistema de realocação de refugiados no Tribunal Europeu de Justiça e que os dois países se opõem à proposta.

Os líderes da UE anunciaram um princípio de acordo sobre as novas reivindicações da Turquia para conter o fluxo em direção à Europa de imigrantes irregulares e refugiados, também sírios, que incluem outros três bilhões de euros.

Já os turcos se comprometeriam a aceitar a devolução de "todos os imigrantes irregulares que cruzaram desde a Turquia às ilhas gregas sempre que a UE assumir os custos" de repatriação.

Os líderes comunitários voltarão a se reunir na semana que vem com Davutoglu e, até lá, trabalharão sobre a nova proposta turca.

Orbán garantiu que a Hungria não aceitará "nenhuma das versões" do sistema de realocação de refugiados nos países comunitários. /EFE

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX