Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Internacional

Internacional » Hungria diz que rota dos Bálcãs usada por refugiados está fechada

Internacional

REUTERS/David W Cerny

Hungria diz que rota dos Bálcãs usada por refugiados está fechada

Em reunião entre Turquia e União Europeia, primeiro-ministro turco destacou a necessidade de acelerar a liberalização de vistos e investir mais dinheiro para solucionar a crise

0

O Estado de S. Paulo

08 Março 2016 | 08h25

BUDAPESTE - O primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, afirmou que a rota dos Bálcãs, usada pelos refugiados que viajam rumo à Europa, foi fechada após a cúpula realizada na segunda-feira em Bruxelas entre a Turquia e a União Europeia (UE), e insistiu em rejeitar a realocação de solicitantes de asilo em países comunitários.

"Terminou uma etapa, a partir de agora fechamos a rota que cruza pelos Bálcãs ocidentais", explicou Orbán à imprensa após sair do encontro com os líderes comunitários, segundo o site Atv.

Com relação ao princípio de acordo alcançado com a Turquia, o primeiro-ministro húngaro explicou que Budapeste se opõe "claramente" à proposta de que, para cada sírio que a Turquia readmitir desde as ilhas gregas, outro sírio seja realocado legalmente desde a Turquia aos Estados-membros da UE.

Esta foi uma das propostas que o primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu, levantou na cúpula, assim como a de acelerar a liberalização de vistos, o desembolso de mais dinheiro e a abertura de cinco capítulos nas negociações de adesão à UE.

Orbán qualificou as proposta da Turquia de "difíceis" e lembrou que a Hungria e a Eslováquia denunciaram o sistema de realocação de refugiados no Tribunal Europeu de Justiça e que os dois países se opõem à proposta.

Os líderes da UE anunciaram um princípio de acordo sobre as novas reivindicações da Turquia para conter o fluxo em direção à Europa de imigrantes irregulares e refugiados, também sírios, que incluem outros três bilhões de euros.

Já os turcos se comprometeriam a aceitar a devolução de "todos os imigrantes irregulares que cruzaram desde a Turquia às ilhas gregas sempre que a UE assumir os custos" de repatriação.

Os líderes comunitários voltarão a se reunir na semana que vem com Davutoglu e, até lá, trabalharão sobre a nova proposta turca.

Orbán garantiu que a Hungria não aceitará "nenhuma das versões" do sistema de realocação de refugiados nos países comunitários. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.