Het Nieuwsblad via REUTERS
Het Nieuwsblad via REUTERS

Imprevisto impediu terceiro terrorista de explodir carga no aeroporto de Bruxelas

Explosão causada pelo primeiro terrorista suicida no check-in do aeroporto jogou Mohammed Abrini a vários metros da mala com explosivos e o tumulto fez com que ele desistisse da ação

O Estado de S. Paulo

22 Abril 2016 | 13h07

BRUXELAS - O terceiro suposto terrorista do atentado de 22 de março no aeroporto internacional de Bruxelas, Mohammed Abrini, tinha intenção de detonar sua carga explosiva, mas teve que desistir de seu plano após um imprevisto, nesta o jornal "La Dernière Heure".

Segundo a publicação, a primeira explosão, causada por um dos dois terroristas suicidas, o jogou a vários metros do carro de bagagem no qual transportava os explosivos, como pode se ver nas imagens gravadas pelas câmaras de vigilância do aeroporto.

O movimento de pânico que aconteceu após a primeira explosão causou um enorme corre-corre em sua direção, que impediu o suspeito de chegar até o carro de bagagem onde transportava os explosivos. As dificuldades fizeram com que o suspeito decidisse ir embora do aeroporto, segundo o jornal.

As imagens revelam que a primeira coisa que os terroristas fizeram ao chegar de táxi ao aeroporto foi checar o painel de decolagens antes de se dirigir para o check-in dos voos com destino a Israel, Estados Unidos e Rússia.

A partir dessas imagens gravadas pelas câmeras, os investigadores conseguiram identificar os dois terroristas suicidas e o "homem do chapéu", que era Mohammed Abrini.

O serviço belga de desativação de explosivos encontrou graças às gravações a bolsa do terceiro suposto terrorista, e a detonou de forma controlada. A Promotoria federal do país informou que não confirma as informações de "La Dernière Heure" e não quis dar detalhes sobre as investigações em andamento. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.