Incursão do Exército e atentado matam 15 no Paquistão

O Exército do Paquistão matou hoje oito insurgentes em confrontos na cidade de Charbagh, no Vale do Swat. O episódio revela que a ameaça do Taleban na região noroeste persiste mais de três meses depois de uma ofensiva do governo para expulsar os militantes do local. Cinco corpos foram encontrados no distrito vizinho de Malakand, segundo o oficial de polícia local Mohammad Kamal. Ainda hoje, a polícia afirmou que um carro bomba matou sete pessoas na cidade de Peshawar.

AE-AP, Agencia Estado

14 Novembro 2009 | 11h03

O Taleban governou o Vale do Swat por meses, aplicando uma interpretação radical do islamismo. O Exército afirma que matou mais de 1,8 mil militantes na operação realizada em meados do ano, que levou à fuga de 2 milhões de pessoas da região. A maior parte dos que deixaram suas casas já voltaram, mas a violência contínua mostra que o Taleban não foi eliminado.

Em Peshawar, no noroeste do Paquistão, um carro carregado de explosivos atingiu um posto policial no subúrbio da cidade. Segundo o oficial de polícia local Irfanullah Khan, entre os mortos há alguns policiais. Os dois incidentes ocorrem um dia após um ataque a bomba na sede regional da agência de inteligência do país, em Peshawar, matar sete oficiais e três civis.

Mais conteúdo sobre:
Paquistão violência Taleban atentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.