Tuwaedaniya Meringing/AFP
Tuwaedaniya Meringing/AFP

Inundações na Tailândia afetam pelo menos 800 mil pessoas

Inundações já atingem dez províncias do sul da Tailândia; equipes trabalham nas operações de busca e resgate

EFE

03 Dezembro 2017 | 05h50

BANGCOC - Cerca de 800 mil pessoas sofrem com as inundações que começaram no início da semana e que abrangem já dez províncias do sul da Tailândia, quando as condições são críticas em quatro distritos de Songkhla, a província com maior número de afetados.

O número de mortos por causa destas inundações chega a seis: dois em Songkhla, dois em Pattani, um em Yala e outro em Trang, sendo esta última vítima uma enfermeira de 39 anos, mãe de dois filhos, que morreu na madrugada da sexta-feira quando ia para o trabalho no hospital e o seu veículo foi arrastado por uma enchente.

Fontes do Departamento de Prevenção e Combate de Desastres indicaram que os distritos em condições críticas são os de Krasae Sem, Ranot, Sathing Phra e Singha Nakhon, que ficam perto do lago Songkhla.

+++ Funeral do rei da Tailândia reúne milhares de pessoas

As autoridades trabalham para reduzir o volume do lago vertendo água no golfo da Tailândia e calculam que, se o tempo não ajudar, as inundações na região podem durar até um mês.

Outras equipes, nas quais colaboram soldados, se ocupam em operações de busca e resgate, em preparar abrigos, distribuir alimentos e roupa e proporcionar serviços de saúde, de água potável e de eletricidade.

+++ Explosão de bomba em hospital de Bangcoc deixa mais de 20 feridos

O rio Sungay Kolok saiu do seu leito em vários trechos da província de Narathiwat e alagou áreas onde a água alcança até dois metros de altura.

As inundações são frequentes na Tailândia onde são registradas abundantes precipitações por causa das monções, que afetam a parte sul do país entre setembro e dezembro, e a parte central e setentrional entre junho e outubro. /EFE

Mais conteúdo sobre:
Tailândia [Ásia]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.