Irã confirma que mantém detidos vários dirigentes da Al-Qaeda

O Irã mantém detidos destacados dirigentes da rede terrorista Al-Qaeda, disse nesta quarta-feira o ministro da Inteligência iraniano, dias depois de o presidente americano, George W. Bush, ter acusado o país de dar abrigo a terroristas. O Irã vinha dizendo nos últimos meses que havia aprisionado vários membros da Al-Qaeda, mas os comentários feitos hoje pelo ministro foram os primeiros em que o país se refere ao fato de ter detido altos dirigentes da rede de Osama bin Laden responsabilizada pelos ataques de 11 de setembro de 2001 nos EUA e de 12 de maio deste ano a um complexo residencial de diplomatas na Arábia Saudita. ?Um grande número de pequenas e grandes figuras da Al-Qaeda estão sob nossa custódia?, disse o responsável pela pasta da Inteligência, Ali Yunesi, aos jornalistas. Ele não deu o nome dos detidos. Yunesi não quis comentar versões da mídia segundo as quais o Irã tem em seu poder o número 2 da rede terrorista, Ayman al-Zawahiri, o porta-voz do grupo, Suleiman Abu Ghait, e o chefe de segurança da rede, Saif al-Adil. Segundo funcionários dos EUA, os serviços de inteligência sugerem que entre os altos dirigentes da Al-Qaeda e seus associados no Irã estariam Saif al-Adil, supostamente vinculado aos atentados na Arábia Saudita; Abu Mohamed al-Masri, procurado por suposto envolvimento nos atentados de 1998 contra embaixadas americanas na África; Abu Musab Zarqawi, considerado pela inteligência americana como o principal vínculo entre a rede e o governo de Saddam Hussein; e Saad, um dos filhos de Osama bin Laden. Todos eles estão entre os principais responsáveis pelas ações da rede. Funcionários dos serviços americanos de antiterrorismo não acreditam nas versões da imprensa de que al-Zawahiri esteja no Irã; eles disseram que o médico egípcio provavelmente está ao lado de Bin Laden em algum ponto da fronteira entre o Afeganistão e o Paquistão. Também não quiseram comentar se acreditam que o porta-voz da Al-Qaeda, Abu Ghait, esteja no Irã.

Agencia Estado,

23 Julho 2003 | 12h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.