Irã não negocia seu direito de enriquecer urânio

O Irã não permitirá que diplomatas discutam seu programa nuclear com nações européias se o objetivo for retirar do país o direito de enriquecer urânio, disse nesta segunda-feira o principal negociador iraniano sobre o tema. No entanto, Hasan Rowhani disse que o Irã está preparado para negociar a suspensão de algumas de suas atividades nucleares. Países europeus informaram na sexta-feira aos EUA que pretendem oferecer ao Irã um pacote de incentivos econômicos com a esperança de convencer o país a abandonar definitivamente o enriquecimento de urânio, uma tecnologia que pode ser empregada na produção de combustível nuclear ou de armas atômicas. Proibição No mês passado, um comitê da Agência Internacional de Energia Atômica aprovou por unanimidade uma resolução exigindo que o Irã congelasse seus trabalhos de enriquecimento de urânio, incluindo o reprocessamento deste elemento radioativo e a construção de centrífugas para o enriquecimento. A AIEA, uma agência dependente das Nações Unidas, se reunirá em 25 de novembro para avaliar se o Irã está cumprindo a resolução. Se não estiver, o Conselho de Segurança da ONU poderá intervir. O Irã tem dito que a agência não tem autoridade para fazer a proibição.

Agencia Estado,

18 Outubro 2004 | 09h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.