YOUNIS AL-BAYATI / AFP
YOUNIS AL-BAYATI / AFP

Iraque retoma cidades estratégicas para a reconquista de Tikrit

Tropas avançaram sobre regiões ao norte de Saladino e ofensiva contra o Estado Islâmico continua

O Estado de S. Paulo

03 Março 2015 | 09h51

BAGDÁ - Na ofensiva contra o grupo jihadista Estado Islâmico (EI), as forças iraquianas recuperaram nesta terça-feira, 3, o controle da cidade de Hamarin e de outros povoados no norte da província de Saladino que têm grande valor estratégico.

Uma fonte da polícia informou que pelo menos 18 jihadistas morreram durante as operações nessas regiões, entre eles dois que tentaram perpetrar atentados suicidas. A fonte revelou que o Exército iraquiano continua o combate perto de Tikrit.

A conquista de Hamarin, cerca de 25 quilômetros ao norte de Tikrit, capital de Saladino, é importante por ser uma zona montanhosa na qual os extremistas têm esconderijos e campos de treinamento.

Os povoados "liberados" são Mubarak al Farhan e Albu Said, cerca de 30 quilômetros ao leste da população de Al Dur, também estratégicas porque seu controle permite cortar a via de provisões do EI proveniente de Kirkuk.

Também facilitará o bloqueio de fornecimento a tomada da ponte de Zarqet na segunda-feira, que une as províncias de Diyala e Saladino, ambas ao norte de Bagdá.

Principal alvo da ofensiva iniciada na segunda-feira, Tikrit, cidade natal de Saddam Hussein, está quase cercada pelas forças leais ao governo iraquiano.

A situação geográfica de Saladino, entre Bagdá e Ninawa, cuja capital é Mossul, principal reduto dos extremistas no Iraque, tem grande importância estratégica no conflito que já dura meses entre o EI e as forças iraquianas.

Se conseguirem recuperar a região totalmente, as forças iraquianas aumentarão a pressão ao sul de Mossul, segunda maior cidade do Iraque, que tentam libertar desde que foi ocupada pelos jihadistas em junho.

No início de janeiro, o Exército do governo conseguiu recuperar totalmente o sul de Saladino, após uma grande ofensiva no final de 2014. /EFE

Mais conteúdo sobre:
Mossul Tikrit Iraque Estado Islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.