1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Israel envia para fronteira com Faixa de Gaza

Agência Estado

03 Julho 2014 | 09h 24

Israel começou a movimentar tropas de reforço para a fronteira com a Faixa de Gaza nesta quinta-feira, informaram funcionários do setor de defesa, elevando a possibilidade de uma operação militar expandida no território palestino em resposta à intensificação do disparo de foguetes contra áreas israelenses.

O movimento de tanques e forças de artilharia teve início após outra noite de intenso lançamento de foguetes que chegaram a atingir duas casas na cidade de Sderot, na fronteira sul. A última grande operação israelense em Gaza, território que é controlado pelo grupo Hamas, aconteceu no final de 2012.

Os disparos de foguete a partir de Gaza acontecem num momento de elevadas tensões, após o sequestro e assassinato de três adolescentes israelenses na Cisjordânia. Israel acusa o Hamas pelas mortes e deteve centenas de integrantes do grupo militante na Cisjordânia como parte das buscas pelos responsáveis, na maior operação em solo na região em quase uma década.

Já os palestinos acusam judeus extremistas de sequestrar e matar um adolescente em Jerusalém Oriental como vingança pelas mortes dos jovens israelenses. Na quarta-feira, jovens lançaram pedras contra policiais israelenses durante todo o dia.

Nas semanas que se seguiram ao desaparecimento dos adolescentes, militantes de Gaza dispararam grande quantidade de foguetes contra Israel, que respondeu com ataques aéreos contra supostos alvos militantes. Na semana passada, dois militantes palestinos morreram durante um ataque aéreo e uma jovem palestina foi morta por um foguete desgovernado. Do lado israelense não houve ferimentos graves.

Mais de dez foguetes atingiram Israel nesta quinta-feira, derrubando parte do fornecimento de energia em Sderot, mas não deixou feridos. Israel disse que respondeu com ataques aéreos durante a noite contra 15 alvos do Hamas.

Nesta quinta-feira, ônibus levando tropas israelenses eram vistos seguindo em direção à fronteira com Gaza, onde soldados organizavam seus equipamentos. Um oficial militar israelense descreveu a movimentação de tropas como "defensiva". "Se o Hamas mantiver as coisas calmas, nós manteremos as coisas calmas", disse ele, que, assim como outras fontes, falou em condição de anonimato.

Em Jerusalém Oriental, as tensões continuavam elevadas, na medida em que a polícia investiga o desaparecimento de Mohammed Abu Khdeir. Sua família afirma que ele foi sequestrado pouco antes de um corpo ter sido encontrado, queimado, numa floresta de Jerusalém.

A polícia ainda não identificou o corpo do adolescente, mas a família de Abu Khdeir montou uma tenda de luto perto de uma mesquita em Jerusalém Oriental. Cerca de 100 pessoas estavam no local nesta quinta-feira para prestar suas condolências.

Fonte: Associated Press.