Israel suspende retirada de soldados da Cisjordânia

O governo israelense anunciou hoje ter suspendido a retirada de seu Exército de duas cidades da Cisjordânia, depois que palestinos atiraram em soldados israelenses. Os palestinos disseram que a retirada não estava submetida a nenhuma condição e afirmaram que o atraso mostra que Israel não falava a sério sobre paz. De acordo com a previsão, Israel deveria deixar Belém e Beit Jalla no fim do dia de hoje. A medida, segundo o governo israelense, seria um teste para a retirada de seus soldados de outras cidades da Cisjordânia que foram ocupadas para a operação de caça aos militantes responsáveis pela morte do ultranacionalista ministro do Turismo, Rehavam Zeevi. Não ficou claro quanto tempo deve durar a suspensão da saída, mas funcionários israelenses afirmaram que a retirada não aconteceria antes de domingo, ou enquanto os soldados ainda estivessem sob fogo. "A retirada de Belém e Beit Jalla pelas forças de defesa israelenses está por enquanto suspensa por causa do descumprimento dos acordos com as forças policiais palestinas e a continuação de tiroteios nessas áreas", afirmou Raanan Gissin, assistente do primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon.

Agencia Estado,

27 Outubro 2001 | 18h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.