THOMAS COEX/AFP
THOMAS COEX/AFP

Itamaraty reitera que status de Jerusalém deve ser definido em negociações de paz

Ministério das Relações Exteriores diz que o Brasil mantém relações diplomáticas com Israel desde 1949 e reconheceu o Estado da Palestina em 2010

O Estado de S.Paulo

08 Dezembro 2017 | 15h26

BRASÍLIA - O Itamaraty divulgou na quinta-feira, 7, nota sobre o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel, feito na quarta-feira pelo presidente americano, Donald Trump. Nela, a chancelaria brasileira reafirma sua posição de que  status final da cidade de Jerusalém deverá ser definido em negociações  que tenham como objetivo a criação de dois Estados em paz e segurança. 

+ Exército de Israel mata manifestante em Gaza, acusam palestinos

O ministério das Relações Exteriores lembra no texto que o Brasil mantém relações diplomáticas com Israel desde 1949 e reconheceu o Estado da Palestina em 2010. Veja a íntegra do texto:

"O governo brasileiro reitera seu entendimento de que o status final da cidade de Jerusalém deverá ser definido em negociações que assegurem o estabelecimento de dois estados vivendo em paz e segurança dentro de fronteiras internacionalmente reconhecidas e com livre acesso aos lugares santos das três religiões monoteístas, nos termos das resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas, como a resolução 478 de 1980, entre outras. Recorda, ainda, que as fronteiras entre os dois estados deverão ser definidas em negociações diretas entre as partes tendo por base a linha de junho de 1967.

O Brasil mantém relações diplomáticas com Israel desde 1949 e reconheceu o Estado da Palestina em 2010."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.