AFP
AFP

Impressões digitais de suspeito de ataque em Berlim são encontradas em caminhão, diz imprensa alemã

Irmão de Anis Amri, procurado em toda Europa como suspeito de ter realizado o atentado em Berlim, pede que ele se entregue à polícia

O Estado de S.Paulo

22 Dezembro 2016 | 08h34

BERLIM - Impressões digitais de Anis Amri, suspeito tunisiano do ataque a uma feira natalina em Berlim, foram encontradas na porta do caminhão que atingiu o local, deixando 12 mortos, relataram nesta quinta-feira, 22, diversos meios de comunicação alemães. Os veículos não citaram a fonte da informação.

O jornal Bild disse nesta manhã que o procurador-geral da Alemanha havia confirmado as prisões de quatro pessoas que tiveram contato com Amri, mas a informação foi negada pelo porta-voz do procurador. “Não sabemos de nenhuma prisão”, disse ele.

Um irmão de Amri, de 24 anos - procurado em toda a Europa como suspeito de ter realizado o ataque -, pediu que o suspeito se entregue à polícia. Abdelkader Amri afirmou à agência de notícias Associated Press: “Peço a ele que se entregue à polícia. Se ficar provado que ele esteve envolvido, nos separaremos disso”.

Os parentes de Amri disseram estar abalados com a notícia de que Anis Amri é o principal suspeito da ação. Para o irmão, Amri pode ter se radicalizado quando esteve preso na Itália, para onde foi após deixar a Tunísia no início das revoltas da Primavera Árabe.

Na quarta-feira, a polícia alemã emitiu uma ordem de prisão internacional para Amri, de 24 anos, oferecendo uma recompensa de 100 mil euros por informações que levem à sua captura. Ele foi identificado como um jovem que teve seu pedido de asilo na Alemanha negado.

Vítimas. O ministro das Relações Exteriores de Israel disse que uma israelense foi identificada como uma das vítimas do atentado. O porta-voz do Ministério, Emmanuel Nahshon, afirmou que Dalia Elyakim, de cerca de 60 anos, estava entre os mortos. Ela estava visitando Berlim com o marido, Rami, que ficou gravemente ferido, mas já está em situação estável.

A feira natalina onde ocorreu o atentado foi reaberta nesta quinta-feira, segundo os diretores do local. “Apesar dos trágicos acontecimentos”, o mercado localizado no centro de Berlim reabriu às 10h locais, conforme indicava um comunicado das empresas Schaustellerverband Berlin e AG City, após a polícia inspecionar o lugar.

A decisão foi tomada em “estreita coordenação” com as autoridades, detalharam os diretores. “Em respeito” às vítimas, a iluminação e as atrações musicais estão proibidas. /REUTERS, AFP e ASSOCIATED PRESS

Mais conteúdo sobre:
Alemanha Terrorismo Estado Islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.