Assine o Estadão
assine

Internacional

Argentina

Justiça convoca Cristina para depor sobre fraude com dólar na Argentina

Juiz federal intima ex-presidente e auxiliares próximos para explicar prejuízo de US$ 1,5 bilhão em venda de dólar futuro do BC

0

O Estado de S. Paulo

26 Fevereiro 2016 | 15h05

BUENOS AIRES  - A Justiça Federal da Argentina intimou nesta sexta-feira, 26, a ex-presidente Cristina Kirchner a depor em um processo que investiga a venda de dólar futuro no Banco Central da Argentina que teria lesado os cofres públicos, informou o jornal Clarín. Também foram convocados o ex-ministro da Economia Axel Kicillof e o ex-presidente do BCA Alejandro Vanoli, além de outros funcionários. 

Em despacho, o juiz federal Claudio Bonadio, questiona contratos assinados entre setembro e dezembro que resultaram num prejuízo de  1,5 bilhão de pesos (US$ 150 milhões). O processo começou a ser investigado no fim de 2015 depois de os deputados Federico Pinedo e Mario Negro denunciarem uma suposta fraude contra administração pública na venda de dólar futuro no BCA. 

As suspeitas começaram quando o BCA começou a vender em grandes quantidades  de dólares a preços mais baixos da prática de mercado.  Enquanto em Nova York, o dólar futuro era negociado a 15 pesos, o BCA o vendia a 10. Essa tendência se acelerou quando ficou mais claro que Macri era o favorito para suceder Cristina, porque uma de suas propostas era a desvalorização cambial. 

Com a vitória de Macri, o peso foi desvalorizado em 30%. Por isso, o BCA teve de desembolsar uma quantia significativamente maior para quitar as vendas fechadas até dezembro, o que provocou o prejuízo. 

Em novembro, a polícia da cidade de Buenos Aires, que respondia na época a Macri, cumpriu mandados de busca na sede do BCA. 

O juiz que cuida do caso já foi alvo de críticas dos Kirchner, que o denunciaram ao Conselho da Magistratura e o proibiram de receber salário.  / AFP

Mais conteúdo sobre:

Comentários