Karzai volta a pedir para Taleban entregar suas armas

O presidente afegão, Hamid Karzai, voltou a pedir hoje que o Taleban e outros grupos extremistas entreguem suas armas. Ele conclamou essas organizações para se envolver na reconstrução do país, como parte dos esforços de reconciliação apontados por Karzai como prioridade de seu segundo governo.

AE-AP, Agencia Estado

27 Novembro 2009 | 13h33

O apelo de Karzai, em uma mensagem para marcar o feriado muçulmano do Eid, ocorre dois dias após o líder do Taleban, mulá Omar, divulgar um comunicado descartando conversas com o presidente. O líder militante pediu que os afegãos cortem relações com a administração "fantoche" de Karzai.

Questionado sobre a mensagem de Omar, que postou uma mensagem em um site comumente usado por militantes, o presidente afegão apenas reiterou os pedidos de diálogo. "Nós continuaremos a convidá-los até que a paz e a estabilidade cheguem a esse país." Os Estados Unidos já disseram anteriormente que o Taleban deve ser derrotado, mas também defendem um processo de reconciliação com aqueles que renunciarem à violência.

Na mensagem, Karzai também reiterou um pedido de diálogo com seu principal rival político, o ex-ministro das Relações Exteriores Abdullah Abdullah. Os dois disputariam o segundo turno de eleições presidenciais, mas Abdullah desistiu, afirmando que não havia condições para uma disputa justa, após centenas de denúncias de fraude no primeiro turno.

Apesar dos pedidos de reconciliação, a violência prossegue no país. O governador provincial de Kandahar, no sul do país, sobreviveu hoje a uma tentativa de assassinato. Uma explosão danificou o carro de Turyalai Wesa, mas o político não teve ferimentos. Um policial ficou ferido, segundo um porta-voz.

Mais conteúdo sobre:
Afeganistão Karzai Taleban armas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.