Robert Pratta/Reuters
Robert Pratta/Reuters

Le Pen cancela encontro com líder muçulmano do Líbano após se recusar a usar véu

Assessoria do xeque Abdul Latif Derian informou que avisou os funcionários da candidata à presidência da França que a peça era necessária para a visita

O Estado de S.Paulo

21 Fevereiro 2017 | 11h30

BEIRUTE - A líder da extrema direita e candidata às eleições presidenciais da França, Marine Le Pen, cancelou um encontro nesta terça-feira, 21, com o grão-mufti do Líbano, principal clérigo para muçulmanos sunitas do país, após se recusar a usar um véu para comparecer ao evento.

Com a visita de dois dias ao Líbano, Le Pen pretende impulsionar suas credenciais de política externa a nove semanas do primeiro turno, em 23 de abril, e pode ter como alvo possíveis eleitores franco-libaneses.

Muitos libaneses se mudaram para a França, ex-potência colonial do Líbano, durante a guerra civil no país, de 1975 a 1990, e se tornaram cidadãos franceses.

Após o encontro na segunda-feira com o presidente cristão Michel Aoun, e o primeiro-ministro sunita Saad al-Hariri, ela iria se encontrar com o grão-mufti xeque Abdul Latif Derian. Ele lidera a Dar al-Fatwa, principal autoridade religiosa para muçulmanos sunitas no país.

"Encontrei o grão-mufti de Al-Azhar", disse a repórteres, se referindo a uma visita em 2015 ao centro islâmico de mil anos no Cairo. "A autoridade sunita mais alta não teve este pedido, mas isto não importa." "Vocês podem dar os meus respeitos ao grão mufti, mas eu não irei me cobrir", afirmou.

A assessoria do clérigo disse que assessores de Le Pen foram informados antes que um véu seria necessário para o encontro e ficaram "surpresos com a recusa".

O caso não é surpresa no contexto político francês. A lei francesa proíbe véus em serviços públicos e escolas de ensino médio em nome da separação entre Estado e Igreja e dos direitos iguais para mulheres. Le Pen quer estender a proibição para todos os espaços públicos, uma medida que iria, acima de tudo, afetar os muçulmanos. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
França Marine Le Pen eleições véu Líbano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.