Leia trechos do vídeo de Osama bin Laden

"Minha mensagem para você, povo americano, é sobre a melhor forma de evitar uma nova Manhattan, sobre a guerra, suas razões e conseqüências. Digo a vocês que a segurança é a principal parte da vida humana e liberais (democratas) não negligenciam sua segurança, ao contrário de (o presidente George W.) Bush, que diz que odiamos a liberdade. Que eles nos diga então por que não atacamos a Suécia, por exemplo. É sabido que aqueles que odeiam a liberdade não dignificam suas almas como aqueles 19 (seqüestradores de 11 de setembro de 2001), que a misericórdia de Deus recaia sobre eles." "Nós lutamos contra vocês porque somos pessoas livres querendo reconquistar a liberdade de nossa nação. Da mesma forma que vocês ameaçam nossa segurança, nós ameaçamos a de vocês." "Não achamos difícil lidar com Bush e sua administração porque ela é similar a regimes em nossos países, nos quais metade deles é governada por militares e a outra metade pelos filhos de reis e de presidentes. Temos uma longa experiência com eles..." "Ele (Bush pai) os invejou (os governos árabes) por permanecerem no poder por décadas e apropriando-se das riquezas da nação. Então ele transferiu a tirania e a opressão para seu filho. Eles criaram a ´lei de segurança interna´ sob o pretexto de lutar contra o terrorismo. Bush, o pai, fez bem instalando seus filhos como governadores de Estados, e ele não esqueceu de transferir o expertise da fraude para a Flórida a fim de beneficiá-los nos momentos críticos." "Nós aceitamos que o comandante-chefe Mohammed Atta, que a graça de Deus recaia sobre ele, promovesse a operação em 20 minutos, que fizesse tudo antes de Bush e sua administração ficar ciente (do que acontecia). Entretanto, eu nunca imaginei que o supremo líder abandonaria 50.000 pessoas nas duas torres (do World Trade Center) à mercê de terríveis acontecimentos no momento em que elas mais precisavam dele, ficando mais preocupado com o que uma criança dizia sobre um bode e seu rabo do que com os aviões e os arranha-céus. Graças a Deus, (a postura de Bush) deu a nós três vezes mais tempo do que precisávamos para promover a operação." "Apesar de já estarmos no quarto ano dos acontecimentos de 11 de setembro, Bush ainda engana vocês escondendo sua real motivação. Portanto, tudo está pronto para se repetir. Eu contarei a vocês qual o motivo desses ataques e direi quando essa decisão foi tomada. Eu direi a vocês, e Deus sabe disso, que não havíamos pensado antes em atacar as torres, mas fomos alimentados depois de vermos as injustiças da aliança americano-israelense contra nosso povo na Palestina e no Líbano. Então isso me veio à cabeça. Os incidentes que me afetam datam de 1982 e o que se sucedeu quando a América deu a Israel permissão para invadir o Líbano com a ajuda da 6ª Frota Americana. Naquele momento difícil, tive muitos pensamentos. Aquilo fez florescer um forte desejo de rejeitar a injustiça e uma grande determinação para punir quem cometia aquela injustiça. Quando vi as torres destruídas no Líbano, pensei em punir aquelas pessoas injustas da mesma maneira, destruindo uma torre na América que a fizesse sentir o mesmo que nós, para impedir que eles matassem nossas mulheres e crianças." "Sua segurança não está nas mãos de (o candidato presidencial democrata John) Kerry nem nas de Bush nem nas da Al-Qaeda. A segurança de vocês está em suas próprias mãos. Qualquer Estado que não mexer com nossa segurança certamente terá garantida sua própria segurança."

Agencia Estado,

29 Outubro 2004 | 21h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.