1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Libertação de norte-americanos presos no Irã é vitória para a diplomacia, diz Obama

- Atualizado: 17 Janeiro 2016 | 18h 13

Presidente americano fez pronunciamento neste domingo, 17, na Casa Branca; Estados Unidos libertaram sete prisioneiros iranianos

Washington - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou que a libertação de cinco cidadãos norte-americanos até então mantidos como prisioneiros no Irã e a conclusão das etapas para encerrar o programa de energia nuclear do país significam uma vitória para a linha adotada por seu governo nas questões de política externa, que dá prioridade à diplomacia.

"Este é um bom dia. Vimos, mais uma vez, o que é possível alcançar com uma diplomacia norte-americana forte", afirmou Obama em pronunciamento feito neste domingo na Casa Branca.

Ao mesmo tempo, em meio a críticas de que o Irã receberá benefícios financeiros pelos termos do acordo, Obama anunciou novas sanções contra Teerã relacionadas a seu programa de mísseis balísticos.

A iniciativa para interromper o programa de energia nuclear do Irã faz parte de um acordo celebrado entre o país, os Estados Unidos e outras potências mundiais que foi concretizado neste sábado. Obama afirmou também que os Estados Unidos e o Irã chegaram a um consenso sobre uma disputa legal de longo prazo envolvendo fundos de investimento do Irã.

Obama discursou após quatro dos cinco cidadãos norte-americanos detidos no Irã terem deixado o país, no sábado. Os Estados Unidos, por sua vez, libertaram sete prisioneiros iranianos.

O presidente dos Estados Unidos rebateu críticas feitas ao acordo. Declarou que os Estados Unidos continuarão vigilantes no que diz respeito a agressões promovidas pelo país no Oriente Médio. As novas sanções anunciadas neste domingo, relacionadas ao programa iraniano de mísseis balísticos, foram apontadas como exemplo da vigilância norte-americana.

Barack Obama discursa na Casa Branca 

Barack Obama discursa na Casa Branca 

Dentre os norte-americanos libertados pelo governo iraniano estão Jason Rezaian, repórter do jornal The Washington Post, Amir Hekmati, descendente de iranianos e ex-fuzileiro naval, Saeed Abedini, pastor naturalizado cidadão dos EUA, Nosratollah Khosravi-Roodsar e um estudante norte-americano, Matthew Trevithick.

Obama afirmou que Rezaian, cuja detenção chamou a atenção global, já se reencontrou com sua família. O presidente lembrou ainda que seu governo continuará buscando informações sobre o paradeiro do ex-agente do FBI Robert Levinson, que desapareceu no Irã em 2007 e não foi mencionado pelos iranianos no sábado. Dow Jones Newswires.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX