Reprodução
Reprodução

Livro polêmico sobre Trump aumenta vendas de homônimo canadense

Com mesmo nome de livro de Michael Wolff sobre Donald Trump, publicação canadense sobre o massacre de civis em bombardeios aliados na Alemanha durante a 2.ª Guerra dispara nas vendas

O Estado de S.Paulo

10 Janeiro 2018 | 22h18

O canadense Randall Hansen lançou em 2009 o livro Fire and Fury (Fogo e Fúria), sobre o massacre de civis em bombardeios aliados na Alemanha durante a 2.ª Guerra. Nos últimos anos, “poucas pessoas estavam comprando o livro”, diz Hansen.

+ Trump classifica livro sobre seu governo como 'fake book'

Após o lançamento da obra de Michael Wolff, na sexta-feira, sobre o primeiro ano de Donald Trump na Casa Branca, ele olhou por curiosidade seu livro na Amazon. A obra, que não estava nem entre as mil mais vendidas, entrou em três diferentes relações de best-sellers da noite para o dia.

Hansen percebeu que muitas pessoas haviam encontrado seu livro enquanto procuravam o título de Wolff, que foi um recorde de vendas antes mesmo do lançamento. 

Nos dias seguintes, a controvérsia sobre o livro de Wolff alimentou as vendas. Com novos pedidos para mais um milhão de cópias em capa dura, tornou-se o livro de não ficção mais vendido na história da Henry Holt, de 151 anos (uma das mais antigas editoras dos EUA).

No meio deste frenesi, alguns dos leitores do livro de Hansen ficaram confusos quanto à celeuma, de acordo com críticas publicadas na Amazon. “Eu não estou vendo nada a respeito do presidente Trump! Não sei por que os democratas estão tão contentes com esse livro e fazendo disso um grande acontecimento”, disse uma das pessoas que postaram comentário.

Deputadas planejam vestir preto durante discurso de Trump

Pelo menos um leitor se sentiu enganado. “Não tem nada a ver com o Blumpf!! Golpe!”, postou o leitor. Outro escreveu: “Eu amo Trump, então comprei esse livro por despeito a Wolff.”

Seja por confusão, rancor ou descoberta acidental, o livro de Hansen consolidou-se à sombra do de Wolff. Está atualmente de volta às encomendas na Amazon e o professor não poderia estar mais satisfeito. “Será que devo uma taxa maior de royalties para Bannon e Trump? Se assim for, a ironia não conhecerá limites”, tuitou.

Apesar de tecnicamente este Fogo e Fúria não ter nada a ver com o livro de Wolff, ele vê uma conexão entre os dois títulos. O de Hansen conta como as bombas lançadas pelas forças aéreas aliadas durante a 2.ª Guerra destruíram dezenas de cidades, mataram meio milhão de cidadãos alemães e deixaram cerca de 80 mil pilotos mortos.

+ Trump rejeita acusações de livro e diz ter um gênio muito equilibrado

Embora Hansen não seja fã do presidente dos EUA, a quem descreveu como “impulsivo” e “infantil”, ele é grato pela associação com o livro sobre o governo de Trump. “Se mais algumas pessoas lerem meu livro agora e refletirem sobre as terríveis consequências da guerra para as populações civis, acho que seria um resultado muito bom”, disse. “Isto é particularmente importante quando temos esse demagogo instável na Casa Branca, que está constantemente ameaçando com guerras e uso de armas militares”, acrescentou Hansen.

A mensagem de Hansen, de manter os princípios morais, parece ter causado impacto em pelo menos um leitor. “Mesmo na luta contra uma força do mal como os nazistas, como este livro deixa claro, não devemos deixar nossa moral na porta”, postou um dos leitores na Amazon, no domingo. / TRADUÇÃO DE CLAUDIA BOZZO

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.