AFP PHOTO / ANP / Koen van Weel / Netherlands
AFP PHOTO / ANP / Koen van Weel / Netherlands

Londres acusa Rússia e Síria de proibirem acesso de inspetores a Duma

Embaixadora britânica em Haia solicitou à Organização para a Proibição das Armas Químicas (Opaq) que 'peça contas aos autores do ataque’ contra o reduto rebelde sírio; Moscou diz que acusação carece de fundamento

O Estado de S.Paulo

16 Abril 2018 | 09h01

HAIA - A missão da Organização para a Proibição das Armas Químicas (Opaq), que tenta investigar o suposto ataque com armas químicas contra Duma, não teve acesso ao local, segundo o Reino Unido.

+ Rússia pode ter manipulado local do suposto ataque químico na Síria, diz representante dos EUA

+ Análise: Missão cumprida, mas qual é a missão na Síria?

"A Opaq chegou no sábado a Damasco. Rússia e Síria não autorizaram ainda o acesso a Duma", declarou no Twitter a embaixadora britânica em Haia. “Acesso sem restrições (é) essencial”, disse. “Rússia e Síria precisam cooperar.”

+ Estados Unidos adiam retirada de tropas da Síria

+ EUA anunciarão novas sanções contra Rússia por crise síria

Ela também solicitou à organização que "peça contas aos autores do ataque de Duma", sem o que o mundo corra o risco de outras utilizações bárbaras de armas químicas, na Síria e em outros lugares.

O vice-ministro russo das Relações Exteriores disse que a demora está relacionada aos ataques aéreos dos EUA. O Kremlin, por sua vez, afirmou que acusar a Rússia de impedir acesso dos inspetores a Duma carece de fundamento.  / AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.