Lufthansa desconhece motivos que levaram copiloto a derrubar avião

Presidente da empresa qualifica queda do Airbus A320 como 'acontecimento mais terrível na história da empresa'

O Estado de S. Paulo

26 Março 2015 | 12h59

FRANKFURT - O presidente da Lufthansa, Carsten Spohr, que controla a empresa aérea de baixo custo Germanwings, afirmou nesta quinta-feira, 26, que a empresa desconhece os motivos que podem ter levado o copiloto do voo 4U9525 a derrubar o avião nos Alpes da França.

Spohr disse que a empresa ficou "consternada" depois tomar conhecimento da gravação da caixa-preta. Para ele, o que aconteceu era "inimaginável". "Nem nos nossos piores sonhos poderíamos imaginar algo assim", disse o presidente da empresa. Spohr garantiu a Lufthansa "toma muito cuidado" no processo de seleção de funcionários.

O executivo aproveitou para reforçar a confiança que mantém nos pilotos da duas companhias e classificou a queda do Airbus A320 como o "acontecimento mais horrível na história da empresa". O presidente da Lufthansa também disse considerar impossível a prevenção deste tipo de acidente e garantiu que o piloto fora aprovado em todos os exames médios, incluindo os exames psicológicos.

Para Spohr, o copiloto do voo 4U9525 , Andreas Lubitz, de 28 anos, estava "100% apto para o voo, sem nenhuma peculiaridade". / EFE

Mais conteúdo sobre:
França Airbus A320 voo 4U9525 Germanwings

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.