Lula vê acordo nuclear como vitória da diplomacia

"Foi uma coisa extraordinária. A diplomacia sai vencedora", disse o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre o acordo nuclear iraniano, feito com a intermediação do Brasil, no programa "Café com o Presidente". O Irã aceitou enviar à Turquia 1.200 quilos de urânio pouco enriquecido e, em troca, receberá 120 quilos de combustível nuclear para seu reator em Teerã. O acordo deve passar por avaliação da Agência Internacional de Energia Atômica (AEIA) e do Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

AE, Agência Estado

17 Maio 2010 | 09h44

Para Lula, que falou diretamente de Teerã, o acerto foi uma resposta de que "é possível, com diálogo, construir a paz, construir o desenvolvimento". O presidente destacou o papel do Brasil e a "afinidade entre o ministro Celso Amorim, o ministro da Turquia e o ministro das Relações Exteriores do Irã". E chamou o ministro Amorim falar sobre o assunto.

Amorim destacou que a negociação se estendeu por meses e enfatizou que esse acordo não vai resolver todas as questões a respeitos da questão nuclear. "Ele é o passaporte para discussões mais amplas, que criem a confiança na comunidade internacional e, ao mesmo tempo, permita o Irã exercer o direito legítimo de usar a energia nuclear para fins pacíficos."

Sanções

Quanto às sanções internacionais ao Irã, Amorim acredita que o acordo "deve ser suficiente" para interromper o movimento em favor de sanções. "Vamos continuar discutindo e vamos ver o que vem, o que vai acontecer. Sempre achamos que era necessário dar um crédito de confiança à paz e à negociação. Agora temos as condições materiais para que esse crédito de confiança exista."

Ao comentar o resultado, Lula reiterou a importância de construir a confiança, disse haver "um milhão de razões para a gente ter argumento para construir a paz e nenhuma razão para a gente construir a guerra".

"Nós estabelecemos uma relação de confiança. E não é possível fazer política sem ter uma relação de confiança. Nós temos que acreditar nas pessoas. E eu penso que nós conseguimos um grande feito. Quando os diplomatas se reúnem em torno de uma causa séria e têm o apoio dos seus presidentes, a coisa acontece." Após falar ao programa, Lula embarcou para Madri, onde acontecerá a Cúpula União Europeia-América Latina.

Mais conteúdo sobre:
programa nuclear acordo Lula diplomacia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.