AP Photo/Alastair Grant
AP Photo/Alastair Grant

Luxemburgo convoca embaixador na Rússia para consultas sobre envenenamento de ex-espião

País 'concorda com a análise do governo do Reino Unido de que é muito provável que a Federação da Rússia seja responsável' pelo ataque com um agente neurotóxico contra Serguei Skripal

O Estado de S.Paulo

28 Março 2018 | 04h54
Atualizado 28 Março 2018 | 09h25

LUXEMBURGO - Luxemburgo anunciou nesta quarta-feira, 28, que convocou para consultas o embaixador do país na Rússia pelo caso do envenenamento do ex-espião russo Serguei Skripal no Reino Unido.

+ Expulsão de diplomatas é secundária para Putin diante de tragédia

+ Relações diplomáticas entre EUA e Rússia: as expulsões de representantes ao longo dos anos

+ Islândia rompe relações diplomáticas com Moscou e anuncia boicote à Copa do Mundo

+ Cronologia: Expulsões em massa de diplomatas soviéticos ou russos

Luxemburgo "concorda com a análise do governo do Reino Unido de que é muito provável que a Federação da Rússia seja responsável por este ato", afirma um comunicado. "Luxemburgo é solidário ao Reino Unido ante o questionamento de nossa segurança comum."

A medida foi anunciada após a expulsão em massa e coordenada de diplomatas russos por vários países ocidentais após o ataque com um agente neurotóxico contra Skripal e sua filha, Yulia, no dia 4 de março em Salisbury, sul da Inglaterra. Os dois permanecem hospitalizados em estado crítico.

Diversos governos europeus, além de EUA, Canadá e Austrália, expulsaram mais de 100 diplomatas russos como parte das represálias da comunidade ocidental, uma decisão sem precedentes inclusive durante a Guerra Fria.

O ministro das Relações Exteriores de Luxemburgo, Jean Asselborn, deu a entender na terça-feira que o país não expulsaria diplomatas russos. No mesmo dia, a Otan decidiu expulsar sete representantes russos e negar a credencial a três. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.