1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Maconha legalizada no Colorado afeta traficantes mexicanos, aponta relatório

- Atualizado: 02 Fevereiro 2016 | 12h 53

Estudo do grupo Lawyer Herald diz que produção, distribuição e venda de maconha recreativa diminuiu operações de contrabando; site pró-legalização diz que tráfico caiu até 70% em dois anos

DENVER, EUA - A legalização da produção e venda de maconha para fins recreativos no Estado do Colorado desde 2014 reduziu as operações dos cartéis mexicanos da droga tanto na área fronteiriça como dentro dos Estados Unidos, de acordo com um relatório divulgado na segunda-feira.

O documento, divulgado pelo grupo Lawyer Herald, utiliza recentes estatísticas de várias fontes para concluir que a produção, distribuição e venda de maconha recreativa legalizada no Colorado está entre os fatores que causaram a diminuição das operações de contrabando dos cartéis mexicanos.

Consumidores aproveitam promoção de loja que vende maconha recreativa legalizada no Colorado durante a Black Friday

Consumidores aproveitam promoção de loja que vende maconha recreativa legalizada no Colorado durante a Black Friday

"A maconha legalizada no Colorado parece ter ajudado a resolver o problema da droga no México", indica o relatório, que cita o site pró-legalização da maconha "Weed Blog", que afirma que nos últimos dois anos houve uma redução de "até 70%" no tráfico dessa droga controlada por cartéis mexicanos.

Um relatório oficial da Agência Antidrogas dos Estados Unidos (DEA) confirmou em outubro de 2015 essa diminuição, ao mostrar que em 2014 (ano mais recente com dados completos) foi registrado 23% a menos de contrabando fronteiriço em relação a 2013. Apesar disso, foram expropriadas 900 toneladas de maconha ilegal na fronteira.

A maconha recreativa foi legalizada no Colorado em novembro de 2012 quando os eleitores aprovaram por maioria a Emenda 64. Essa lei permite que a partir deste ano todos os interessados, e não só os donos de dispensários de maconha medicinal, vendam maconha recreativa caso se registrem.

Um relatório da Universidade Carnegie Mellon e outro da Universidade de Maryland, ambos de janeiro, indicam que a queda das atividades dos traficantes mexicanos na fronteira se deve à criação no Colorado de um mercado negro de maconha, mais potente do que a mexicana, que é ilegalmente distribuído a outros Estados.

Outra análise, divulgada recentemente pelo canal "ABC News", documenta a presença no Estado de "narcotraficantes em grande escala que chegaram especificamente para cultivar a droga e enviá-la a mercados mais lucrativos", pois "ninguém sabe exatamente quanta maconha sai do Colorado". / EFE e AP

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX