1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Maduro diz que vai expulsar três funcionários consulares dos EUA

O Estado de S. Paulo

17 Fevereiro 2014 | 12h 58

Presidente da Venezuela afirmou que os americanos conspiravam contra seu governo

CARACAS - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou no domingo 16 a expulsão de três funcionários consulares dos Estados Unidos acusados de conspirarem contra o seu governo. Ele não identificou os americanos.

"É um grupo de funcionários dos EUA que está nas universidades. Nós os temos observado fazendo reuniões há dois meses nas universidades particulares. Eles trabalham com vistos", disse Maduro em discurso transmitido por rede nacional de TV.

Segundo o presidente, a Venezuela precisa ser respeitada. "Nosso país não se intromete nos assuntos internos de ninguém, muito menos nos assuntos dos Estados Unidos".

Maduro acusou ainda o governo de Barack Obama de fazer ameaças e estar por trás dos protestos que ocorrem contra seu governo desde a semana passada. O presidente disse que os EUA fizeram exigências "inaceitáveis" para que Caracas mantivesse um diálogo com a oposição venezuelana e a libertasse estudantes presos.

De acordo com Maduro, os pedidos foram feitos em uma mensagem do subsecretário adjunto para a América Latina do Departamento de Estado americano, Edward Alex Lee. "Em terceiro lugar ele disse exatamente o que vou ler: a prisão do senhor Leopoldo López pode causar muitas consequências negativas, com ramificações internacionais", afirmou o presidente venezuelano.

López é dirigente do partido de oposição Vontade Popular e tem contra ele um pedido de prisão por supostamente ter responsabilidade nos atos violentos que causaram a morte de três manifestantes na semana passada. Ele anunciou no domingo que se entregará para as autoridades na terça-feira, depois da realização de mais uma marcha contra o governo./ REUTERS e EFE