Miraflores Palace/Handout via REUTERS
Miraflores Palace/Handout via REUTERS

Maduro é vaiado por multidão em meio a escalada de crise na Venezuela

Durante carreata na cidade de San Félix, no sudeste do país, em comemoração ao 2º centenário do confronto na cidade durante a guerra de independência do país, manifestantes atiraram objetos contra o presidente; ao menos 5 pessoas foram detidas

O Estado de S.Paulo

12 Abril 2017 | 12h13

SAN FÉLIX, VENEZUELA - Venezuelanos revoltados com o governo do país atiraram objetos contra o presidente Nicolás Maduro durante um evento na terça-feira, em San Félix, no Estado de Bolívar (veja abaixo). Os protestos contra o líder de esquerda aumentaram nas últimas semanas em meio a uma crise econômica brutal e ao que críticos dizem ser uma guinada rumo a uma ditadura.

Imagens da televisão estatal mostraram uma multidão cercando o veículo em que Maduro acenava de pé ao se despedir no final de um evento militar no sudeste da Venezuela. Algumas pessoas atiraram objetos contra Maduro, enquanto seus guarda-costas acudiam. Neste momento a rede estatal interrompeu a transmissão.

Em outro vídeo compartilhado nas redes sociais, vozes gritando "Maldito!" eram ouvidas enquanto o veículo que aparentemente transportava Maduro, ex-motorista de caminhão e líder sindical, tentava abrir caminho pela multidão.

Cinco jovens de 15, 17, 18, 19 e 20 anos de idade foram presos por lançar "objetos afiados" contra o veículo do presidente, de acordo com um relato de uma divisão local da Guarda Nacional Bolivariana visto pela agência Reuters na noite de terça. 

O Ministério da Informação não respondeu a um pedido de informações, embora dirigentes do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) tenham dito no Twitter que Maduro foi saudado por uma multidão em San Félix.

A oposição venezuelana, que vem protestando há duas semanas para exigir eleições antecipadas, capitalizou o incidente, que viu como prova de que Maduro é profundamente desprezado em razão da escassez de alimentos e à inflação cada vez maior.

"O ditador só precisa sair de Miraflores (palácio presidencial) para ver como as pessoas o repudiam!", tuitou o deputado opositor Francisco Sucre, do Estado de Bolívar.

O incidente rendeu comparações imediatas com o ano passado, quando as autoridades detiveram brevemente mais de 30 pessoas na ilha de Margarita por hostilizarem Maduro - um acontecimento raro, levando em conta que as aparições do líder socialista são coreografadas cuidadosamente e só mostram apoiadores entusiasmados de camisa vermelha. Vídeos publicados na ocasião mostraram dezenas de pessoas batendo panelas e zombando de Maduro. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
VENEZUELA Nicolás Maduro Twitter Protesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.