Máfia russa suspeita de encomendar morte de gato

A máfia russa é suspeita de ter contratado o ?assassinato? de um gato. Segundo o jornal britânico Daily Telegraph, Rusik, um gato farejador de caviar, foi atropelado e morto propositalmente. Rusik era o flagelo dos contrabandistas: autoridades alfandegárias usavam-no para procurar por ovas de esturjão em carros que passavam pela rota de contrabando, do Mar Cáspio a Moscou. Estima-se que o mercado de caviar contrabandeado movimente mais de US$ 1,5 bilhão, e já tenha provocado rixas letais entre poderosas famílias criminosas. Rusik, um gato de rua que foi adotado pelos policiais no ano passado, pode ter se tornado um alvo dos criminosos depois que seu papel de auxiliar das forças da lei veio a público, semana passada. Ele já havia denunciado o carro que o atropelou. ?Um dia, Rusik simplesmente saltou no porta-malas de um carro no posto de checagem e imediatamente farejou o esturjão?, disse um policial. ?Depois disso, resolvemos usá-lo sempre?.

Agencia Estado,

14 Julho 2003 | 18h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.