Mais de 100 presos em protesto contra OMC no Canadá

Mais de 100 manifestantes foram presos durante protestos contra a reunião de ministros de países membros da Organização Mundial de Comércio (OMC), em Montreal. A maioria das prisões foi realizada em locais afastados do Hotel Sheraton, onde se desenrola o encontro. Apenas cinco pessoas foram detidas na frente do hotel. Horas antes do início da reunião, um grupo antiglobalização, com cerca de 500 ativistas armados de pedras, quebrou vitrines do comércio no centro de Montreal e destruiu símbolos de empresas americanas. Muitos manifestantes, usando máscaras antigás, atacaram um estabelecimento do Burger King, rede americana de fast-food, e depois uma loja da Gap, especializada em moda jovem. O grupo levava cartazes com os dizeres "Destruam a OMC" e atacaram ainda um posto de recrutamento do exército canadense. No meio dos protestos, um objeto foi lançado contra o automóvel que transportava o ministro da Economia da Argentina, Roberto Lavagna, e quebrou a janela traseira do veículo, mas ninguém foi ferido. A ação da polícia impediu que os manifestantes chegassem ao hotel e os protestos foram afastados para ruas distantes. Domingo, uma manifestação pacífica reuniu cerca de mil pessoas, que saíram em passeata pelas ruas do centro de Montreal.

Agencia Estado,

28 Julho 2003 | 20h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.