1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Malásia confirma desvio de rota proposital de avião

NYT

15 Março 2014 | 12h 32

Investigação de aeronave passa a ser alvo de inquérito criminal e primeiro-ministro acredita em sequestro

SEPANG, Malásia - A Malásia transformou a busca pelo voo 370 em uma investigação criminal neste sábado, 15, depois de o Primeiro Ministro ter declarado em uma coletiva de imprensa que o avião foi deliberadamente desviado de sua rota de Kuala Lumpur a Pequim uma semana atrás, e na sequência voou por até sete horas para um destino desconhecido.

O Primeiro Ministro Najib Razak disse na coletiva que a Malásia irá procurar a ajuda de outros governos da Ásia para tentar encontrar o avião. As autoridades da Malásia liberaram um mapa mostrando o último sinal de satélite recebido do avião.

A polícia de Kuala Lumpur neste sábado foi às casas do piloto e co-piloto do avião desaparecido, de acordo com repórteres locais. Autoridades disseram que vão investigar os pilotos, mas ainda não divulgaram informações sobre o progresso das investigações. A assessoria da polícia disse que só disponobilizará novas informações em uma coletiva de imprensa no domingo.

De acordo com Najib, um satélite orbitando 35.800 km sobre o meio do Oceano Índico recebeu uma transmissão que, baseada no ângulo de transmissão do avião, veio de alguma localização entre dois arcos. Um arco se estendia da fronteira sul do Cazaquistão na Ásia Central até o norte da Tailândia.  O outro, de perto de Jakarta, Indonésia, até o Oceano Índico, aproximadamente 1600 km a oeste da costa da Austrália.

 

"Esses movimentos são consistentemente deliberados por alguém a bordo do avião", disse Najib. Ele notou que um dos sistemas de comunicação foi desabilitado enquanto o avião sobrevoava a costa nordeste da Malásia. Um segundo sistema, um rádio a bordo da aeronave, abruptamente parou as transmissões de localização, altitude, velocidade e outras informações alguns minutos depois, à 1h21, enquanto o avião tinha percorrido um terço do Golfo da Tailândia entre a Malásia e o Vietnã.

 

Especialistas disseram previamente que quem desabilitou o sistema de comunicação do avião e pilotou o jato, deve ter um alto grau de conhecimento técnico e experiência de voo. Uma possibilidade levantada é que os pilotos queriam cometer suicídio.

 

O avião transportava 239 pessoas quando, por volta de 1h20 o jato desapareceu levantando um dos mistérios mais intrigantes da história da aviação moderna.

  • Tags:

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo