1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Manifestantes paquistaneses invadem televisão estatal

Estadão Conteúdo

01 Setembro 2014 | 15h 49

Manifestantes contrários ao governo invadiram o prédio da televisão estatal nesta segunda-feira, o que tirou as transmissões do ar por um breve período de tempo. Os opositores entraram em confronto com a polícia e se aproximaram da residência do primeiro-ministro Nawaz Sharif.

Os atos violentos aconteceram como parte das manifestações lideradas pelo clérigo Tahir-ul-Qadri e pelo político e ex-estrela do críquete Imran Khan, que exigem a renúncia de Sharif. O premiê recusa-se a sair do cargo. No final de semana, confrontos entre manifestantes e forças de segurança deixaram três mortos e centenas feridos durante combates de rua na capital paquistanesa, Islamabad.

Nesta segunda-feira, manifestantes e policiais se confrontaram em várias áreas da chamada zona vermelha, um amplo complexo de prédios do governo e gramados no centro de Islamabad.

Os manifestantes, armados com porretes e muitos usando máscaras de gás, jogaram pedras contra a polícia. Cinco policiais, dentre eles um graduado chefe de polícia de Islamabad, e três manifestantes foram levados para o hospital, sangrando.

Parte dos opositores conseguiu passar por um portão que cerca da residência do primeiro-ministro, mas foram impedidos de seguir adiante por tropas paramilitares e do Exército.

Eles também invadiram o prédio da emissora estatal de televisão, localizada em outra área da zona vermelha, o que tirou as transmissões do ar por um breve período. No interior do edifício, os manifestantes avançaram pelos corredores com paus e porretes, quebrando equipamentos, sob as vistas de nervosos funcionários.

As manifestações contra Sharif constituem a maior ameaça a seu governo, que assumiu o poder há pouco mais de um ano. Várias rodadas de negociações entre representantes de Khan e de Quadri com o governo não resultaram num acordo.

Os dois líderes afirmam que houve ampla fraude eleitoral na eleição de maio de 2013, vencida com enorme vantagem pelo partido de Sharif. Observadores internacionais não encontraram evidências de grandes adulterações eleitorais.

Os protestos começaram com uma marcha para Islamabad que teve início na cidade de Lahore, leste do país, no dia da Independência, 14 de agosto. Assim que chegaram à capital, os manifestantes acamparam perto do Parlamento. Khan e Qadri convocaram milhões para se juntar aos protestos, mas a multidão chegou no máximo a algumas dezenas de milhares, nos pontos mais altos das manifestações. Fonte: Associated Press.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo