Manifestantes queimam bandeira dos EUA na Bahia

Bandeiras do Islã, pessoas com roupas árabes, bandeira dos Estados Unidos queimada, gritos de protesto contra o presidente George W. Bush e até um camelo. Só faltaram as fotos do terrorista Osama bin Laden. A cena, que parece mais adequada a um país muçulmano - com manifestantes condenando os americanos pelos bombardeios ao Afeganistão - ocorreu hoje à tarde, na Bahia. Cerca de 300 pessoas comandadas pelo Comitê contra a Guerra, criado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), transformaram o centro de Salvador num palco de protesto. A manifestação chamou a atenção principalmente por conta do camelo, alugado pelo Sindicato dos Bancários ao Circo de Portugal, que está se apresentando em Salvador. "O camelo simboliza os povos do Oriente Médio", explicou o presidente do Sindicato dos Bancários, Álvaro Gomes. O Comitê contra a Guerra funciona no Sindicato dos Bancários e pretende realizar outros atos em defesa do povo afegão. A manifestação de hoje começou na Praça da Piedade, com a queima da bandeira americana. Depois, os manifestantes seguiram em passeata para o Largo do Mosteiro de São Bento, puxados por um carro de som em que sindicalistas se revezavam em discursos contra os Estados Unidos. Leia o especial

Agencia Estado,

10 Outubro 2001 | 18h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.