Dominique Faget / AFP
Dominique Faget / AFP

Manifestantes voltam a ocupar a Praça da República, em Paris

Movimento batizado como 'Nuit debout' (Noite em claro, em tradução livre) acampa desde 31 de março na Praça da República, em Paris, para protestar contra reformas propostas por Hollande

O Estado de S. Paulo

12 Abril 2016 | 10h03

PARIS - Centenas de parisienses voltaram a ocupar na noite de segunda-feira, 11, a Praça da República, depois de terem sido desalojados de forma pacífica pela polícia, dando continuidade à mobilização iniciada no dia 31 de março, conhecida como "Nuit Debout" (Noite em claro, em tradução livre), que busca expressar seu descontentamento com a política tradicional.

No chamado movimento "Nuit Debout", centenas ou milhares de manifestantes vão à Praça da República, principalmente para expressar sua oposição à reforma do código trabalhista promovida pelo governo socialista.

A praça, para onde as manifestações em Paris costumam ser convocadas, se transformou também em lugar de homenagem às vítimas dos atentados de janeiro e novembro de 2015.

Na manhã de segunda-feira, a polícia expulsou os manifestantes do local, alegando que era preciso "retirar as estruturas fixas", mas, de acordo com a prefeitura, os organizadores apresentaram uma solicitação para reocupar a praça.

O protesto defende outras causas, como a defesa dos imigrantes, a ecologia, o feminismo e a luta contra a corrupção. Além disso, a "Nuit debout" se estendeu para outras cidades do país e cerca de 200 organizaram manifestações imitando o movimento parisiense

Reação. O governo da França anunciou nesta segunda-feira um pacote de cerca de € 500 milhões de euros em auxílio a estudantes, na tentativa de conter a revolta de manifestantes que prometeram voltar a se reunir em uma praça do centro de Paris pela 12ª noite consecutiva.

"O governo está ouvindo. Ele entende as preocupações dos jovens", afirmou o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, a organizações estudantis, anunciando subsídios para jovens graduados em busca de emprego e outras formas de auxílio a estudantes e aprendizes no valor total de 400 a 500 milhões de euros.

Poucas horas antes de Valls se encontrar com jovens e líderes estudantis para tentar apaziguar as tensões, a polícia retirou cerca de cem manifestantes da "Nuit Debout" da Place de la République sem incidentes.

A polícia também desmontou barracas e hortas de vegetais improvisadas, mas planos de novos protestos para a noite desta segunda-feira foram anunciados de imediato. / AFP, EFE e REUTERS

Mais conteúdo sobre:
França protestos 'indignados'

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.