Manifestantes voltam a pedir retorno de Aristide ao Haiti

Manifestantes haitianos, armados com machetes e pedras, exigiram, pelo quinto dia consecutivo, o retorno do presidente deposto Jean-Bertrand Aristide, gritando "Aristide ou morte". Cerca de 150 manifestantes reuniram-se em Porto Príncipe. As manifestações pró-Aristide começaram na quinta-feira da semana passada e já resultaram na morte de 14 pessoas, inclusive três policiais que foram baleados e depois decapitados. Existe muita tensão entre os manifestantes e as forças de paz da ONU que protegem o Palácio Nacional. As forças da ONU no Haiti são comandadas pelo Brasil. Os manifestantes incendiaram carros e bloquearam ruas que levam à favela de Bel Air, perto do centro de Porto Príncipe. "Nós ficaremos nas ruas até a morte ou até Aristide retornar. Nós não vamos parar", avisou Milo Fenelon, um manifestante de 24 anos. "Se entrarem aqui, vamos cortar a cabeça deles. Vai ser como em Bagdá", ameaçou.

Agencia Estado,

04 Outubro 2004 | 16h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.