1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Menino israelense morre em ataque de morteiros

Estadão Conteúdo

22 Agosto 2014 | 14h 16

Militantes de Gaza dispararam pelo menos 56 foguetes e morteiros contra Israel, que realizou pelo menos 28 ataques aéreos

ataques de Israel contra a Faixa de Gaza e o disparo de foguetes em direção ao território israelense continuavam nesta sexta-feira, pelo terceiro dia após o fim do cessar-fogo temporário. Um menino israelense de quatro anos morreu após um ataque de morteiros nas proximidades da fronteira com Gaza.

No início da tarde, militantes de Gaza dispararam pelo menos 56 foguetes e morteiros contra Israel, que por sua vez realizou pelo menos 28 ataques aéreos contra o território costeiro, informou o Exército.

Um dos ataques atingiu uma fazenda de gado onde dois trabalhadores foram mortos e três pessoas ficaram feridas, informou o funcionário da saúde de Gaza Ashraf al-Kidra. O Exército israelense disse que seus ataques têm como alvo lançadores de foguetes ocultos e depósitos de armas.

Em Israel, um menino de quatro anos morreu no início da noite, após um ataque de morteiros vindos de Gaza. A morte foi confirmada por Eli Bin, chefe do serviço nacional de resgate, em entrevistas a emissoras de televisão. Foi a primeira morte israelense desde que os confrontos foram retomados após o colapso das negociações para um cessar-fogo no Cairo. Em seis semanas de combates, mais de 2 mil palestinos e 68 israelenses morreram.

Cerca de um quarto dos palestinos mortos, 469, eram crianças, segundo dados do funcionário do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) em Gaza, Pernilla Ironside. Dos mais de 10.500 palestinos feridos, cerca de um terço são crianças, diz o Unicef, e cerca de 100 mil moradores do território costeiro ficaram sem casa.

Também em Israel, um civil ficou moderadamente ferido por um foguete na cidade de Beersheba, sul do país, e outro ficou levemente ferido por um outro artefato que caiu na cidade de Sderot. Em Ashdod, um foguete atingiu uma sinagoga e três pessoas ficaram levemente feridas por causa dos vidros das janelas quebradas.

O presidente palestino Mahmoud Abbas reuniu-se com o chefe político do Hamas, no Catar para tentar fazer o grupo voltar às negociações para um cessar-fogo e encorajar o Catar a apoiar os esforços do Egito para uma trégua duradoura, informou um funcionário palestino.

Abbas foi para o Egito na noite deste sexta-feira para se reunir com oficiais de inteligência do país e discutir a questão do cessar-fogo, afirmou o funcionário palestino, que falou em condição de anonimato. Abbas deve se reunir com o presidente egípcio Abdel Fattah El-Sisi durante os três dias de visita ao país. Fonte: Associated Press.