1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

México e países da América Central aprovam plano para transportar cubanos

- Atualizado: 21 Janeiro 2016 | 17h 16

Em Governos da região estabeleceram dois voos semanais para El Salvador, onde os imigrantes pegarão ônibus para o México e receberão visto de trânsito para irem até a fronteira com os EUA

SAN JOSÉ, COSTA RICA - O México e países da América Central aprovaram um plano para realizar mais voos que possam permitir a milhares de cubanos que estão na Costa Rica seguir viagem até os Estados Unidos.

Durante o encontro entre os governos da região, na Guatemala, na quarta-feira, foi considerada um "sucesso" a primeira viagem teste feita na semana passada, quando 180 cubanos voaram para El Salvador e de lá pegaram um ônibus para o México, onde receberam vistos de trânsito para seguirem até a fronteira com os EUA.

Imigrantes cubanos esperam para embarcar em ônibus para a fronteira Guatemala-México em La Cruz, na Costa Rica

Imigrantes cubanos esperam para embarcar em ônibus para a fronteira Guatemala-México em La Cruz, na Costa Rica

"Isso nos permite passar para a segunda fase, com dois voos semanais por meio da mesma rota", disse Manuel González, ministro das Relações Exteriores da Costa Rica.

As autoridades, que não especificaram quantas pessoas embarcariam em cada voo, planejam dar prioridade a mulheres grávidas, crianças e famílias entre os 7,8 mil cubanos que se encontram na Costa Rica desde meados de novembro, quando a Nicarágua fechou sua fronteira.

Milhares de cubanos têm se direcionado a países da América Central como via de acesso para tentar alcançar os EUA, motivados por temores de que a recente distensão nas relações entre Havana e Washington leve ao fim dos privilégios para cubanos que buscam asilo nos EUA - que permitem a eles entrarem no país por terra sem visto. Os que tentam entrar pelo mar são deportados. / REUTERS

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX