Milícia decapita rivais na República Democrática do Congo

Grupo da etnia Nandé mata civis Hutus na província de Kivu do Norte

O Estado de S.Paulo

18 Fevereiro 2017 | 23h49

Vinte e cinco pessoas morreram em um ataque realizado por uma milícia da etnia Nandé em uma cidade do leste da República Democrática do Congo, informou uma fonte oficial neste sábado. “No total, 25 pessoas morreram, decapitadas com facão pelos Mai-Mai Mazembe no povoado de Kyaghala e seus arredores", declarou à AFP Francis Bakundakabo, representante local do governador da província de Kivu do Norte, destacando que "todos eram civis Hutus".

Segundo Bakundakabo, o massacre ocorreu entre 4h (1h em Brasília) e 8h (5h em Brasília). Entre as vítimas, "24 foram assassinadas com facão e uma mulher foi morta a tiros", disse à AFP Hope Kubuya, autoridade da sociedade civil local. Esta incursão dos Mai-Mai Mazembe no povoado dos Hutus contribui para avivar o conflito interétnico na região", acrescentou após comprovar a estrutura do ataque.

Os Mai-Mai são grupos de autodefesa constituídos a partir de uma base essencialmente étnica,  formado por cidadãos das comunidades Nandé, Hunde e Kobo e se opõe aos milicianos do grupo Nyatura (Hutu). Nyanzale, onde ocorreu o massacre, é povoada na maioria por Hutus.

O último grande ato de violência na região ocorreu no Natal de 2016, quando 35 civis morreram em ataques recíprocos de ambos os grupos. Os Hutus são vistos como estrangeiros por grande parte das comunidades que se consideram “nativas”. de Kivu do Norte quanto a região oriental da RDC têm conflitos armados há mais de 20 anos. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Congo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.