AFP PHOTO / Francisco LEONG
AFP PHOTO / Francisco LEONG

Ministra do Interior de Portugal renuncia após série de incêndios florestais no país

Nos últimos meses, mais de 100 pessoas morreram; Constança Urbano de Sousa disse em sua carta de demissão que ‘não tinha condições políticas e pessoais para continuar no posto’

O Estado de S.Paulo

18 Outubro 2017 | 09h30

LISBOA - A ministra do Interior de Portugal, Constança Urbano de Sousa, renunciou nesta quarta-feira, 18, depois que incêndios florestais deixaram mais de 100 mortos no país nos últimos meses.

+ Incêndios na região central de Portugal obrigam retirada de mais de 130 pessoas de suas casas

Centenas de incêndios assolaram o norte e o centro de Portugal desde domingo, após o verão mais seco em quase 90 anos, deixando ao menos 41 mortos e sobrecarregando os serviços de bombeiros e as equipes de resgate. Em junho, um incêndio florestal matou 64 pessoas.

+ Vídeo: Incendiários presos em Portugal

O Ministério do Interior é responsável pelos bombeiros, pela polícia e pela agência de Defesa Civil, que enfrentaram críticas após os incêndios.

Em sua carta de demissão, a ministra disse: “Eu não tinha as condições políticas e pessoais para continuar no meu posto”. O primeiro-ministro português, António Costa, informou em comunicado que aceitou a renúncia da ministra.

Até mesmo o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, chegou a lançar duras advertências ao governo. Em um discurso à nação em Oliveira do Hospital, uma das áreas mais afetadas pelas chamas, o chefe de Estado destacou que espera que o Parlamento, "soberanamente, esclareça se quer manter o governo atual". / REUTERS e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.