Morre homem infectado com antrax nos EUA

Um homem de 63 anos morreu nesta sexta-feira no estado norte-americano da Flórida depois de ter contraído antrax pulmonar, uma forma extremamente rara e letal de uma doença que poderia ser uma arma em mãos de terroristas. Especialistas afirmaram que não há evidências de que o homem foi vítima de um ataque terrorista, mas foram enviados investigadores para a Carolina do Norte e Flórida, dois Estados em que o doente, Bob Stevens, esteve nas últimas semanas. Stevens morreu no Centro Médico JFK, em Atlantis, depois que fracassou a tentativa de combater a doença com antibióticos, informou o médico Jean Malecki. "Não há nenhum motivo para acreditarmos que estamos em risco", disse o doutor Jeffrey P. Koplan, diretor do Centro para o Controle e a Prevenção de Doenças em Atlanta. Funcionários do centro na Flórida disseram hoje que nenhum outro caso de antrax foi diagnosticado. A porta-voz do centro, Barbara Reynolds, disse que os investigadores "rastrearam os hospitais, mas nada foi encontrado". Stevens, editor de fotografia do jornal The Sun, era aficionado por atividades ao ar livre. O vírus do antrax pode ser contraído naturalmente, dos animais ou do solo. No entanto, alguns países o produzem como possível arma biológica.

Agencia Estado,

05 Outubro 2001 | 18h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.