1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Mortes na Síria passam de 191 mil, diz ONU

Os últimos três anos de conflitos na Síria já resultaram na morte de mais de 191 mil pessoas, conforme informou nesta sexta-feira a Organização das Nações Unidas (ONU). O levantamento, que cobre o período de março de 2011 a abril de 2014, é o primeiro divulgado pelo escritório de Direitos Humanos da ONU desde julho de 2013, quando o número de vítimas fatais estava em torno de 100 mil.

Do total de pessoas mortas, 85% eram homens, 9% eram mulheres, e nos demais o gênero não foi identificado. Apesar do desconhecimento das idades da maioria, pelo menos 8.800 eram crianças. Os dados foram coletados a partir de informações do Centro de Pesquisa e Estatísticas da Síria, da Rede Síria de Direitos Humanos, do Observatório Sírio de Direitos Humanos e do governo sírio.

A chefe do escritório de Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay, afirmou que o resultado é "provavelmente menor do que o número total real de pessoas assassinadas durante os três anos de conflito" e criticou a "paralisia" da comunidade internacional diante dos acontecimentos no país, que, segundo ela, acabaram perdendo espaço nas discussões por conta de vários outros conflitos armados ao redor do mundo.

Segundo seu porta-voz, Rupert Colville, a crítica de Pillay referia-se principalmente ao impasse no Conselho de Segurança da ONU. A Rússia, um dos principais aliados do presidente sírio, Bashar Assad, já usou seu poder de veto em quatro oportunidades para impedir intervenções internacionais na Síria. Fonte: Associated Press.