"Mortos-vivos" protestam por direitos na Índia

Mais de vinte pessoas, que se dizem ?mortas-vivas?, realizaram uma cerimônia hindu de extrema unção do lado de fora de uma Assembléia Legislativa estadual para protestar contra o fato de terem sido declaradas legalmente mortas e perdido suas propriedades para parentes e autoridades corruptas. Os manifestantes disseram que dezenas de milhares de outras pessoas sofrem com o mesmo problema no Estado mais populoso do país, Uttar Pradesh. ?Meu filho arrumou um atestado de óbito falso e se apossou de meus cinco hectares de terra. O governo ainda se recusa a me reconhecer como viva?, queixou-se Rashida Bibi, 62 anos. ?Batemos nas portas do governo e da polícia. Ninguém está pronto para nos reconhecer como pessoas vivas, porque os registros da Receita nos declaram mortos?, disse Lal Bihari, presidente da Associação dos Mortos-Vivos. A maioria dos casos de mortos-vivos envolve parentes das vítimas, que pagam autoridades corruptas para registrar certidões de óbito falsas, disse o ministro estadual da Receita, Ghanshyam Shukla.

Agencia Estado,

31 Julho 2003 | 16h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.