1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

MP da Bolívia realiza buscas na casa de ex-namorada de Evo

- Atualizado: 03 Março 2016 | 17h 32

Segundo o diário 'El Deber', Ministério Público tenta localizar documentos para investigação que acusa Gabriela Zapata de lavagem de dinheiro, enriquecimento ilícito e tráfico de influência

LA PAZ - Funcionários do Ministério Público (MP) da Bolívia que investigam os supostos crimes cometidos pela empresária Gabriela Zapata, ex-namorada do presidente Evo Morales, fizeram buscas na quarta-feira em sua luxuosa casa na capital La Paz para encontrar e confiscar documentos.

Uma das tias de Gabriela, Pilar Guzmán, declarou que os funcionários do MP fizeram buscas no imóvel, onde havia uma menina e uma empregada. "Eles nos disseram que é algo relacionado com o processo, mas nos pegaram de surpresa porque entraram bruscamente", declarou a parente de Gabriela, segundo o jornal "El Deber".

MP da Bolívia fez busca por documentos na casa de Gabriela Zapata, ex-namorada de Evo Morales

MP da Bolívia fez busca por documentos na casa de Gabriela Zapata, ex-namorada de Evo Morales

Pilar acrescentou que a menina, que é filha de Gabriela, está "em choque porque ficou assustada (com a ação)" e ninguém informou à família que o pessoal do MP iria se apresentar para buscar documentos.

Gabriela, que até a semana passada era funcionária da empresa chinesa Camce, está presa desde domingo acusada de lavagem de dinheiro, enriquecimento ilícito com prejuízo ao Estado e uso indevido de influências em grau de cumplicidade.

De acordo com o Ministério Público boliviano, a ex-namorada de Morales utilizou escritórios da Unidade de Gestão Social do Ministério da Presidência para se reunir com investidores e fazer acordos com empresários.

Também estão detidas pela mesma denúncia a agora ex-chefe dessa Unidade, Cristina Choque, e o funcionário Jimmy Morales, um motorista do Ministério da Presidência que supostamente dirigiu um veículo oficial que foi utilizado por Gabriela.

A oposição pediu uma investigação por suposto tráfico de influência em relação à empresa Camce, que assinou vários contratos com o governo no valor de US$ 566 milhões, em razão do envolvimento entre Gabriela e o presidente Morales.

O governo boliviano aceitou a investigação dos contratos da Camce que ficará a cargo da Controladoria e de uma comissão do Parlamento.

Gabriela Zapata e Evo Morales mantiveram uma relação por quase dez anos e ambos tiveram um filho em 2007. Inicialmente, se disse que a criança tinha falecido, mas, posteriormente, parentes da mãe asseguraram que o menino está vivo.

Morales, que garante que Gabriela lhe disse que a criança tinha morrido logo depois de nascer em razão de uma doença, pediu que lhe entregassem o menino se ele estiver vivo. Além disso, o governo considera que há uma "articulação política" para atacar o presidente com este tema, alegando que os irmãos de Gabriela têm relação com a oposição. / EFE

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX