Ng Han Guan/AP
Ng Han Guan/AP

Na China, comunistas serão obrigados a ler livro do presidente

Livro tem 99 discursos do presidente; Partido Comunista diz ser 'tarefa essencial estudar o pensamento de Xi Jinping'

O Estado de S.Paulo

23 Novembro 2017 | 06h10

PEQUIM - Milhões de funcionários do alto escalão de todas as regiões da China deverão ler e estudar o novo livro de pensamentos e discursos do presidente chinês, Xi Jinping, informou nesta quinta-feira, 23, a agência de notícias estatal Xinhua

O livro intitulado "Xi Jinping: o governante da China" tem 99 discursos do presidente chinês e é a segunda parte de outro publicado em 2014. O livro foi traduzido para 21 idiomas e promovido dentro e fora do país. 

+ Partido Comunista da China, ‘o maior partido do mundo’

Uma comitiva enviada pelo escritório geral do Partido Comunista a diversas regiões da China tem estimulado o seu estudo, lembrando que é "tarefa essencial de todo membro do partido estudar o pensamento de Xi Jinping sobre o socialismo com características chinesas para uma nova era". 

+ A ausência das mulheres nas esferas do Partido Comunista da China

Eles deixam claro, também, que o livro deverá ser lido nas escolas do partido de todos os níveis, assim como nos comitês de formação, academia de líderes e centros de estudos políticos. A obrigação de ler os discursos de Xi ocorre em um momento de forte centralização do poder no regime em torno de sua figura, algo que seus antecessores tentaram evitar. 

Artigo: As cinco lições do líder chinês

Xi consolidou sua liderança no 19º Congresso do Partido Comunista da China (PCC), realizado em outubro. Com isso, ele tornou-se o governante mais poderoso do país em 40 anos, com a inclusão de seu nome nos estatutos do PCC, o que o coloca à altura do fundador do regime, Mao Tsé-tung. / EFE 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.