Departamento de Polícia de Las Vegas via AP
Departamento de Polícia de Las Vegas via AP

Namorada do assassino de Las Vegas desconhecia planos do massacre

Marilou Danley disse que nunca pensou que Paddock 'estaria planejando algo violento contra ninguém'

O Estado de S.Paulo

04 Outubro 2017 | 20h45

LAS VEGAS - A namorada do responsável pelo massacre de Las Vegas, que deixou 59 mortos, disse nesta quarta-feira, 4, que desconhecia os planos de seu companheiro de disparar contra uma multidão. 

Hotéis de Las Vegas aumentam medidas de segurança após ataque

"Conheci um Stephen Paddock bondoso, carinhoso e tranquilo", disse Marilou Danley em comunicado lido por seu advogado, Matthew Lombard. "O amei e apostei em um futuro tranquilo juntos". Ela disse que Paddock nunca disse nada ou teve alguma ação que a alertou sobre algo. 

Danley, de 62 anos, explicou que há duas semanas Paddock lhe disse que havia encontrado uma passagem de avião barata para que ela fosse sua visitar sua família nas Filipinas. 

Atirador usou câmeras para vigiar polícia antes de disparar por 9 minutos

"Como todos os filipinos no exterior, estava emocionada de ir para casa ver familiares e amigos". "Enquanto estava lá, ele me enviou dinheiro, que disse que era para comprar uma casa para mim e minha família", disse, em referência à transferência de 100 mil dólares. 

Ela chegou a pensar que Paddock queria terminar a relação. "Nunca pensei que ele estaria planejando algo violento contra ninguém". 

+ Massacre em Las Vegas era inevitável, afirmam especialistas em segurança

A mulher, que tem nacionalidade australiana e vive nos Estados Unidos há 22 anos, assegurou que ficou devastada ao saber da notícia do massacre, o pior na história recente dos EUA, e enviou suas condolências aos familiares das vítimas. 

"Sou uma mãe e uma avó e meu coração sofre por todos aqueles que perderam um ente querido", expressou a mulher, que assegurou que voltou voluntariamente aos EUA e vai colaborar com o FBI na investigação. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.